Um time mais agressivo em termos ofensivos, bem mais consistente em seu setor defensivo e invicto. É desta forma que pode ser definido o Cruzeiro 'versão Luxemburgo' na Série B do Campeonato Brasileiro em comparação à própria equipe antes da chegada do Professor.

Finalizações

Nas 15 primeiras rodadas da Segunda Divisão, a Raposa teve média de 14 finalizações por jogo, número que cresceu desde a chegada de Luxa: 17,3 arremates por partida.

E um detalhe importante nesses seis duelos sob o comando de Vanderlei Luxemburgo é o de que em nenhum deles o Cruzeiro teve menos chutes que o adversário. Apenas uma vez houve o mesmo número de finalizações que o oponente, no caso, o Náutico: 12 para cada lado. Nessa oportunidade, aliás, os mineiros venceram por 1 a 0, nos Aflitos.

O mesmo não se pode dizer dos confrontos anteriores, com Mozart e Felipe Conceição. Em cinco das 15 partidas em questão, o time celeste teve menos chutes que o adversário; e em uma igualou o rival nesse quesito, contra o Botafogo (14 a 14).

O curioso é que a média de gols marcados pela equipe, com Luxa, diminuiu. Antes dele, o Cruzeiro anotou 1,2 gol por jogo; com ele, o número teve uma ligeira queda para 1,16.

Cruzeiro

Defesa sólida

No quesito sistema defensivo, a Raposa vem marcando melhor e dando menos espaços aos oponentes sob a tutela de Luxa. Antes dele, o time azul sofria, em média, 12 finalizações por embate. Depois da chegada do Professor, o número caiu para 7,6 por confronto.

Essa evolução se reflete nos gols sofridos. Na Era Conceição/Mozart, a equipe levou 1,67 gol por duelo. Com Luxemburgo, a média é de 0,67 por partida. Além disso, o Cruzeiro não teve a meta vazada nos seus três últimos embates. Os números desse levantamento são derivados de estatísticas do SofaScore.

Crescente

Nesta terceira passagem de Vanderlei pela Toca II, o clube deixou a zona de rebaixamento e subiu quatro degraus, chegando ao 14º lugar. Mas ainda é pouco. Invicto há oito rodadas - sendo seis com Luxa -, o time está a dez pontos do Botafogo, quarto colocado da Série B, com 35 pontos.

Contra o Goiás, no dia 7 de setembro, na Serrinha, a China Azul anseia por um triunfo para diminuir a distância para os primeiros colocados. E manter a evolução nas atuações e nos números.

Leia mais:
Flávio recebe o terceiro cartão amarelo e vai desfalcar o Cruzeiro contra o Goiás
CBF divulga datas e horários de seis rodadas da Série B do Brasileiro; confira os jogos do Cruzeiro
Filho de Wagner Pires de Sá aciona o Cruzeiro na Justiça e cobra mais de R$ 127 mil do clube