O último jogo da Raposa aconteceu na sexta-feira (22), contra o Avaí, e terminou 1 a 0 para o Leão. Um duelo no qual o Cruzeiro não conseguir acertar o gol, assim como na partida anterior, diante do Botafogo, o empate em 0 a 0.

O meia Giovanni relembrou, nessa segunda-feira (25), dessas e outras situações e atribuiu parte do insucesso do setor ofensivo da Raposa à competência dos goleiros adversários.

“Nossa equipe cria bastante, mas de um tempo pra cá os goleiros adversários estão sendo os melhores das partidas. Estão defendendo tudo! Isso significa que nossa equipe está tentando e buscando gol a todo tempo. Os goleiros estão vivendo grandes noites e conseguindo pegar todos os chutes e bolas”, disse.

Sobre a reta final da Série B, o jogador tem sua própria motivação: "estar aqui todos os dias vestindo a camisa do Cruzeiro”. E, segundo ele, o orgulho de vestir a camisa do time são parte da fórmula para a melhora da equipe, visando à próxima temporada. “A postura dos jogadores que vierem a vestir a camisa do Cruzeiro precisa ser com o intuito de ‘brigar’”, afirmou. 

Giovanni mantém o espírito competitivo e, mesmo faltando apenas sete jogos para o fim do campeonato, quer dar seu máximo. Para ele, o objetivo de abrir uma sequência de vitórias não mudou, e o momento é de foco. No entanto, o meia volta a destacar a atuação dos goleiros adversários. “Temos que ser cirúrgicos e matar a partida. Mas não podemos deixar de ressaltar que os goleiros adversários vêm se saindo muito bem contra nós’’, declarou.

O contrato do meia vai até dezembro deste ano. O armador manifestou desejo de permanência, apesar de não ter sido contatado para negociações.

Cruzeiro

Leia mais:

Matheus Pereira tem fratura no cotovelo confirmada e desfalca o Cruzeiro na Série B
Cruzeiro inicia a venda de ingressos para o duelo com o Remo; confira os detalhes
Próximo rival do Cruzeiro, Remo vem de três derrotas seguidas e não vence há um mês na Série B