Cruzeiro

Presidente do Cruzeiro prometeu colocar salários dos funcionários em dia, mas ainda não acertou pagamentos

Sem receber salários há seis meses, funcionários do Cruzeiro, das sedes sociais Barro Preto e Campestre, anunciaram uma paralisação a partir deste sábado (23). Conforme o comunicado divulgado, a greve será mantida “até que haja uma efetiva resposta em relação aos pagamentos atrasados”.

“Vale ressaltar que as dificuldades financeiras impostas pelo Cruzeiro não abalaram ou prejudicaram o empenho no trabalho. Contudo, infelizmente, a situação ficou intolerável e injustificável. Até mesmo a forma com a qual o Cruzeiro vem sendo gerido”, diz a carta assinada pelos cobradores do clube.

Em resposta ao comunicado dos funcionários, o time informou  que “conforme anunciado, à medida em que o clube viabilizar as quantias junto aos parceiros, as pendências com os colaboradores serão quitadas de forma gradativa”. 

Greve dos jogadores

Na última semana, os jogadores do time profissional do Cruzeiro paralisaram as atividades por três dias, também com reivindicação de que os salários fossem pagos. O time sub-20 também aderiu à greve.

Depois de reunião dos atletas profissionais com o presidente Sérgio Santos Rodrigues, os treinamentos foram retomados no domingo (17). Nesta sexta-feira (22), às 21h30, a equipe volta a campo na Série B, para enfrentar o Avaí, em Florianópolis.

Segundo o zagueiro Ramon, os salários dos jogadores permaneciam atrasados até essa quarta-feira (20). Nesta quinta, o técnico Vanderlei Luxemburgo disse que a diretoria ainda buscava uma solução.

Leia mais:
Vanderlei Luxemburgo elogia comportamento dos jogadores do Cruzeiro depois de greve
Avaí x Cruzeiro: prováveis escalações e onde assistir ao jogo desta sexta-feira