A taxa de transmissão do coronavírus cresceu em Belo Horizonte nessa quinta-feira (16), saindo de 1,00 para 1,04. Segundo o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, o baixo número de novos casos da Covid-19 identificados na capital é responsável pelo pico.

"O RT é uma medida muito importante, mas temos que considerar que, como o número de casos notificados é pequeno, pequenas variações determinam amplitude maior”, afirmou, durante participação no lançamento do Plano Nacional de Expansão da Testagem, do Ministério da Saúde, nesta sexta (17).

De acordo com o titular da pasta, a variação é pequena e não impactou nos índices de ocupação das terapias intensivas nem das enfermarias da capital. Neste momento, o indicador chegou ao nível amarelo, considerado de atenção.

“O que nos preocupa são as mortes sem atendimento. Mas a cidade sofreu muito, e contribui para essa flexibilização que compensa o fechamento feito por algum tempo, lembrou.

Conforme o último boletim epidemiológico e assistencial divulgado pelo Executivo, 95 testes positivos para a doença foram confirmados em 24 horas na capital. 

Flexibilização

No mesmo dia em que houve o aumento do contágio na cidade, a Prefeitura de BH divulgou novas regras do protocolo que amplia a participação de público em teatros, shows, espetáculos, eventos corporativos, feiras, exposições, congressos, eventos sociais e cinemas. 

O documento traz também determinações para a realização de corridas de rua e um decreto para a retomada de eventos gastronômicos em locais públicos e privados da capital mineira.

Segundo a PBH, a revisão dos protocolos vem sendo feita de forma gradual e segura, a partir da ampliação da vacinação e da estabilidade dos indicadores epidemiológicos da pandemia.

Leia mais:

Variante Delta representa 60% dos casos de Covid-19 em BH
Minas vai vacinar todos os adolescentes, com e sem comorbidades, diz secretário Fábio Baccheretti