A Arquidiocese de Belo Horizonte afastou, nesta terça-feira (9), um padre de 64 anos suspeito de assediar sexualmente funcionárias de um colégio em Santa Luzia, na região metropolitana da capital. Quatro mulheres já prestaram depoimento contra o religioso na Polícia Civil.

Alegando “respeito à dignidade de cada pessoa”, a arquidiocese anunciou o afastamento do padre até o fim do processo legal. O sacerdote era responsável por uma paróquia no bairro São Benedito.

“Desde que tomou ciência das denúncias, a Arquidiocese de Belo Horizonte procurou agir com rapidez, mas com prudência, se inteirando do processo, em diálogo com as instâncias oficiais, o que exige respeito a prazos de instituições e agentes do direito. Dialogou também com o sacerdote e com a comunidade paroquial. A Arquidiocese de Belo Horizonte confia que a justiça prevalecerá”, afirma a instituição em nota.

Informações iniciais da investigação dão conta de que o padre é conhecido em Santa Luzia, onde é dono de dois colégios e de uma universidade. 

As vítimas afirmaram à PC que o assédio por parte do sacerdote era constante e ele chegou a oferecer dinheiro para que elas não o denunciassem. As investigações correm em sigilo. A reportagem não conseguiu contato com o padre investigado.

Leia mais:
Justiça nega habeas corpus para ex-vereador Jairinho
Bope fará escolta da deputada Andréia de Jesus após parlamentar sofrer ameaças de morte