Nenhuma grande barragem se rompeu ou transbordou em Minas Gerais por causa das chuvas que caem sobre o Estado desde a noite de quarta-feira (22). De acordo com coordenador adjunto da Defesa Civil Estadual (Cedec), tenente-coronel Flávio Godinho Pereira, todas as estruturas foram monitoradas ao longo da madrugada deste sábado (25) e não houve mudança no fator de segurança das barragens no Estado.

Neste momento, o Estado conta com três barragens em nível 2 e quatro em nível 3 – ou seja, com alto risco de rompimento. Todas elas estão sendo monitoradas durante 24 horas por meio de radares e piezômetros.

“As fake News continuam. Tivemos que, ao longo da madrugada, desmentir com notas informações falsas sobre rompimentos de barragens”, afirmou Godinho.

Muitas mensagens que circulam nas redes sociais falam que uma barragem na região de Macacos, em Nova Lima, estaria prestes a se romper ou teria transbordado. As barragens B3/B4 estão em nível 3 de segurança. Moradores relatam sentir medo, mas a Vale garante que está monitorando a situação da estrutura e investiu na drenagem da barragem. A Prefeitura de Nova Lima informou que as rotas de fugas em Macacos não se encontram obstruídas e estão sendo monitoradas.

Ainda segundo o tenente-coronel Godinho, a única questão confirmada é que a Cemig teve de abrir as comportas da represa Rio Pedra, em Itabirito, na região Central do Estado. Com isso, o volume de água do rio das Velhas aumentou. A ação foi necessária porque estava entrando 165 metros cúbicos por segundo na estrutura e saindo apenas 35 metros cúbicos por segundo.

“A abertura e o fechamento de comportas é feito de maneira responsável. Nada será feito sem que profissionais tenham tempo suficiente para retirar pessoas, se necessário for”, disse Godinho.

Leia mais:
Prefeito Alexandre Kalil se diz envergonhado por desastre na Vila Bernadete; ao menos dois morreram
O pior ainda está por vir, afirma Zema sobre ocorrências referentes a chuvas
Técnicas usadas no resgate na Vila Bernadete são similares às de Brumadinho