As forças de segurança de Minas Gerais informaram, nesta quarta-feira (19), que 15 carros de som que acompanham os cortejos de 60 blocos de rua apresentam algum tipo de irregularidade. Para que a folia ocorra sem problemas, o Estado garantiu que montou uma força-tarefa para regularizar a situação. Porém, não há garantias de que todos os veículos serão liberados antes de sábado (22), quando a festa terá início.

Diretor do Detran, o delegado Kleyverson Rezende garantiu que o órgão está preparado para legalizar, de imediato, todos os veículos, como os trio elétricos. "Mas temos etapas a serem seguidas, e não depende só do Detran", frisou.

Antes da vistoria no departamento, os proprietários devem conseguir o Certificado de Segurança Veicular, emitido por empresas credenciadas ao Denatran e Inmetro. "Estamos empenhados e aguardando a demanda. E, na medida que ela for entrando, vamos solucionando", disse.

Rigor

Representantes dos blocos reclamam que, nas mais de 480 reuniões sobre o Carnaval - desde março do ano passado -, a exigência deste documento não foi citada. É o que afirma a advogada e produtora dos blocos Daquele Jeito e A Roda. "Todos esses caminhões detêm um laudo de inspeção técnica fornecido por uma empresa credenciada pelo Denatran, o que está sendo exigido agora é um requisito de alteração do veículo", disse.

Segundo ela, "nunca houve orientação da Belotur sobre essa alteração exigida. Todos os informativos só falam sobre a autorização da BHTrans, que é o que esses veículos têm". A advogada entrou com uma ação no TJMG para que os blocos possam sair sem medo de serem parados ou os caminhões apreendidos no Carnaval.  Com receio de que os cortejos sejam prejudicados, mais de 60 blocos assinaram uma nota em que repudiam as exigências dos órgãos públicos. Confira no fim da reportagem a íntegra da nota.

Detran, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar rebatem a acusação, alegando que a legislação está em vigor desde 2008. "A responsabilidade de estar legal é do trio e do organizador. O bloco não pode ser liberado a qualquer custo, por causa dos riscos aos foliões", destacou o tenente-coronel Péron Batista da Silva Laignier, dos bombeiros. 

"A partir do momento que a legislação é vigente, ela é exigida", completou Rezende.

Então Brilha!

Então, Brilha! é um dos blocos que utilizam trio elétrico

Segurança

As irregularidades dos trios não foram detalhadas pelas forças de segurança, mas há casos em que o combustível estava ao lado dos geradores. "Eles podem aquecer e gerar até um incêndio. É uma preocupação com a sociedade e com os foliões", defendeu o tenente-coronel Alisson de Lima, comandante do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran).

O oficial destaca que a corporação, criticada por determinar a apreensão de dois veículos no último fim de semana, não é contra a folia "Pelo contrário, somos favoráveis. Mas queremos que o melhor Carnaval do Brasil e o mais seguro e, por isso, preocupamos com a prevenção", frisou.

Além da documentação, os bombeiros vistoriam outros quesitos, como presença de extintor, isolamento e barreiras. "Se detectarmos alguma possível irregularidade, acionamos a PM ou a Guarda Municipal", detalhou o tenente-coronel Péron. Em caso de risco iminente, a própria corporação pode interditar o desfile ou impedir a circulação dos veículos.

Comunicação

Superintendente de Integração da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Leandro Almeida informou que o Estado abriu um canal direto para que os representantes dos blocos tirem dúvidas sobre as exigências. "Terá um 0800 283 01190. Vai funcionar 24 horas e a Polícia Civil vai explicar a força-tarefa que está aberta para atender todos em caso de necessidade.

Confira a íntegra da nota divulgada pelos blocos:

*CARNAVAL EM RISCO:*
Arbitrariedade do governo do estado impede o carnaval de BH
#liberaocarnaval #carnavalbh

O carnaval de Belo Horizonte, nos moldes que se popularizou na última década, é uma construção popular que enfrenta resistências todos os anos.

Nos tempos da prefeitura de lacerda, tinha até ameaça de multa pra bar que abrisse onde ia passar bloco!

Ano após ano, a prefeitura entendeu o potencial lucrativo da festa e a abraçou, sendo quem mais ganha $ com a folia.

Ano após ano, também, os blocos lidam com cada vez mais obrigações, que vem também com mais custos. a arrecadação da maioria não cresce junto com o aumento dos foliões na rua, o que significa cada vez mais dificuldades pra colocar o bloco na rua.

Com muita surpresa, esse ano a novidade veio NA SEMANA ANTES DO CARNAVAL, já durante o período carnavalesco oficial da cidade, conforme blocos e imprensa denunciaram na última segunda-feira.

Nesse período, diariamente temos blocos na rua, e ainda não tivemos uma resposta sobre essa situação. apesar de os blocos estarem em dia com tudo que foi solicitado pela belotur, a PMMG mantém sua postura de impedir desfiles devido a uma burocracia que até então não era de conhecimento dos blocos, que não tem dinheiro para contratar outros carros em cima da hora.

A poucos dias da folia, o cenário é de desespero. nosso trabalho de um ano pode ser jogado fora. centenas de trabalhadores ambulantes terão sua possibilidade de trabalho prejudicada. alguns blocos que recebem patrocínio precisarão rescindir contratos e ficar no vermelho. os blocos que sobrarem ficarão tão lotados que a estrutura certamente não comportará.

Pedimos apoio da população para pressionar o governo de minas e o prefeito kalil para tentarmos salvar nosso carnaval! mas já adiantando um pedido de desculpas pelo provável cancelamento de nossos cortejos.

Leia mais:
Detran poderá ter força-tarefa para liberar trios elétricos antes de desfiles de bloquinhos em BH
Briga por arma de artes marciais termina com um morto e dois presos na Praça 7