A Prefeitura de Belo Horizonte informou nesta sexta-feira (10) que aumentou a capacidade e a complexidade para os atendimentos do Centro Especializado em Covid-19 (Cecovid), instalado na UPA Centro-Sul.  

Segundo a PBH, no local já estão funcionando seis leitos semi-intensivos para pacientes com quadro respiratório grave. Todos os leitos contam com ventilador mecânico e monitoramento. Uma equipe exclusiva composta por médico, enfermeiro, fisioterapeuta e técnico de enfermagem também foi contratada para acompanhar esses pacientes. 
 
O espaço tem capacidade para abrigar até 12 leitos. “Os leitos são de cuidados intermediários, ou seja, o paciente terá cuidados semelhantes à terapia intensiva. Seguimos com o planejamento da prefeitura de abrir leitos sempre com recursos humanos e equipamentos necessários para o funcionamento", explica o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto.

O Cecovid foi aberto pela prefeitura em março para ampliar a assistência e o atendimento à população com sintomas de doenças respiratórias, como tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar e febre. O serviço funciona todos os dias, 24 horas.

A taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes com Covid-19 na capital caiu quatro pontos percentuais e está em 88% com o aumento constante de leitos nos últimos dias, segundo levantamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), nesta sexta-feira (10). Dos leitos de enfermaria para pacientes com a doença, a taxa de ocupação também caiu dois pontos percentuais em relação à véspera e chegou a 76%.

Belo Horizonte continua sendo a cidade com mais notificações em Minas. São 9.978 diagnósticos positivos e 246 mortes. Por causa dos números, o prefeito Alexandre Kalil informou que BH segue na fase zero da flexibilização social, quando apenas serviços essenciais podem funcionar.