As duas vítimas da explosão na barragem da Pampulha que ainda estavam internadas no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII não resistiram aos ferimentos e morreram no fim da última semana. O primeiro homem de 47 anos morreu no fim da noite de quinta-feira (31) e, o segundo, de 56, morreu no sábado (2).

Com os dois homens, sobe para três o número de mortos na explosão, que aconteceu no dia 25 de outubro em uma obra no vertedouro da Lagoa da Pampulha. O primeiro óbito aconteceu no dia 28 de outubro.

As três vítimas ficaram internadas na Unidade de Queimados do João XXIII e, além das queimaduras, sofreram diversos traumas. Outros dois trabalhadores, que estavam no local no momento da explosão, sofreram apenas ferimentos leves e não precisaram ser levados a hospitais.

Explosão

O acidente aconteceu na manhã do dia 25 de outubro enquanto cinco operários trabalhavam no vertedouro da barragem da Pampulha, em uma estrutura que tem aproximadamente 20 metros de profundidade, no cruzamento das avenidas Pedro I e Antônio Carlos. Ainda no dia do acidente, a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (Smobi) informou que todos usavam equipamentos de proteção individual na hora da explosão.

A Polícia Civil informou que a investigação das causas do acidente ainda está em andamento. Procurada, a Smobi informou que lamenta o ocorrido e aguarda o laudo da PC. A PBH ainda afirmou que outros posicionamentos devem ser enviados pelas empresas que contrataram os serviços dos operários.

O serviço, segundo informou a Smobi, foi entregue à responsabilidade da empresa G-Maia, que, por sua vez, contratou os serviços da All Energy para as obras. A G-Maia informou que não vai se posicionar sobre o assunto e que este posicionamento seria papel da PBH. Já a All Energy foi procurada, mas o responsável não atendeu as ligações até a publicação desta reportagem. 

Leia mais:
Morre operário ferido em explosão no vertedouro da Pampulha
Explosão em galeria do Vertedouro da Pampulha deixa operários feridos