Os estudantes do Colégio Militar de Belo Horizonte vão retornar às salas de aula nesta sexta-feira (2). A instituição, gerenciada pelo Exército, confirmou que retomará as atividades presenciais depois de receber o aval da Justiça Federal.

No último dia 21, o Colégio Militar reiniciou as aulas dentro do educandário mas, no mesmo dia, a Justiça revogou a autorização que havia dado. Depois disso, outras decisões favoráveis e contrárias foram emitidas pelo judiciário.

A última, do dia 29, permitiu o retorno das aulas. Em nota, a direção da instituição garantiu que tem condições de impedir o contágio do novo coronavírus entre os estudantes.

"Considerando seu enquadramento como estabelecimento de ensino oficial de natureza ‘sui generis’, o Colégio Militar de Belo Horizonte reafirma que reúne excelentes condições para o retorno com segurança de seus alunos às atividades presenciais", informou.

Procurada para comentar sobre o retorno, a prefeitura disse que "está estudando o caso para decidir que providências irá tomar". 

Conciliação

Para colocar fim nas ações judiciais, uma audiência de conciliação entre as partes foi marcada para o próximo dia 7. A reunião, que ocorrerá de forma remota, está prevista para 14h.

Além do Colégio Militar, várias creches e pré-escolas de BH também conseguiram permissão da Justiça para receber os alunos presencialmente. 

O retorno das aulas na metrópole virou um "festival de liminares" depois que o prefeito Alexandre Kalil cassou os alvarás de todas as instituições de ensino na tentativa de impedir o retorno das atividades.

Leia mais:
Taxa de infecção despenca e PBH planeja ensino híbrido