Com a aproximação da data mais importante do ano para o comércio, o Natal, a expectativa dos lojistas é que 77% dos consumidores retornem ao patamar de compras pré-pandemia.

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que o avanço da vacinação e o pleno funcionamento das atividades comerciais em todo o país devem levar 123,7 milhões de pessoas às compras, com potencial para injetar aproximadamente R$ 68,4 bilhões na economia brasileira.

Em BH, a estimativa do Sindicato do Comércio Lojista de Belo Horizonte (Sindilojas BH) é que o segmento tenha 22% de crescimento em comparação com o mesmo período de 2020, especialmente com a venda de artigos natalinos.

Outro fator essencial para a retomada das compras é o recebimento do 13º salário. A pesquisa do CNDL aponta que 33% dos consumidores utilizarão o benefício trabalhista para adquirir presentes e 24% devem gastar nas comemorações de Natal ou Ano Novo.

Na avaliação do presidente da CNDL, José César da Costa, o avanço da vacinação e a reabertura das lojas em todo o país trazem uma boa expectativa para o setor, mesmo diante de um cenário de dificuldade econômica.

“Este ano será possível realizar festas, eventos sociais e coorporativos. Isso também estimula as compras e o consumo. Apesar do cenário econômico preocupante, a pesquisa demonstra que a força simbólica e cultural do Natal se sobrepõe às adversidades que os brasileiros ainda lidam com a crise econômica. O Natal é o período mais aguardado do ano para consumidores e comerciantes e dá indícios de que a disposição dos brasileiros para consumir está retornando, ainda que aos poucos”, destaca Costa.


Leia também:

Auxílio de programas sociais amparou 23% das famílias no país em 2020
Mesmo sem ingressos, ainda é possível participar do Festival de Jabuticaba de Sabará