Conclusão do inquérito sobre morte de mulher de promotor de BH será divulgado nesta sexta

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
30/04/2021 às 09:41.
Atualizado em 05/12/2021 às 04:48
 (Maurício de Souza/ Arquivo Hoje em Dia)

(Maurício de Souza/ Arquivo Hoje em Dia)

A conclusão do inquérito sobre a morte da mulher de 41 anos, casada com um promotor de Justiça de Belo Horizonte, será divulgada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) na tarde desta sexta-feira (30). O marido é o principal suspeito do crime e está preso desde 4 de abril, sob custódia em uma unidade do Corpo de Bombeiros da capital mineira.

Conforme divulgou o Procurador-Geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares, o resultado será anunciado às 15h30 de hoje, na sede da Procuradoria-Geral do MPMG, no bairro de Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital mineira. Pelo twitter, ele disse, na noite de quinta-feira (29), que analisaria os relatórios e laudos para conclusão das investigações sobre a morte.

Amanhã, às 15h30, na sede do @MPMG_Oficial , serão apresentados os resultados das investigações feitas por membros do MP, com o apoio da @pcmgoficial, sobre as circunstâncias da morte de Lorenza de Pinho. Nesta noite lerei o relatório e analisarei os laudos. Que Deus nos ilumine.— Jarbas Soares Junior (@jarbassoaresjr) April 29, 2021

Na ocasião do crime, o médico que emitiu um relatório sobre o óbito da mulher teria declarado a causa primária da morte como pneumonite, uma inflação nos pulmões que pode ser causada por diversos fatores ou mesmo que ela poderia ter morrido por intoxicação. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre as causas, porém, apontou lesões provocadas por esganadura ou estrangulamento.

Ao Hoje em Dia, o advogado do promotor, Robson Lucas, afirmou que, pelo entendimento da defesa, o laudo não prova indicação de crime e que é preciso que as informações sejam esclarecidas. “É preciso que tenha uma investigação para ver as causas apontadas no laudo, quem as provocou e o que efetivamente ocorreu para a morte”, avaliou.   

Entenda

A vítima foi encontrada morta em 3 de abril, no apartamento do casal, no bairro Buritis, na região Oeste de BH. Conforme o boletim de ocorrência, o marido dela informou aos militares que, pela manhã, percebeu que a mulher não estava bem e acionou a ambulância de um hospital particular.

A equipe médica tentou reanimar a vítima, sem sucesso. O promotor alega que ela passou mal e engasgou enquanto dormia.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por