O corpo do bancário Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, foi periciado e liberado pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte na madrugada desta quinta-feira (9). Ele morreu em Juiz de Fora, na Zona da Mata, após ser vítima de uma doença misteriosa gravíssima que acometeu pelo menos oito homens desde a última quinzena de dezembro.

De acordo com a Polícia Civil, um profissional da Universidade de São Paulo (USP) esteve na capital mineira para auxiliar na necropsia, que contou também com o trabalho de legistas, peritos criminais, investigadores e técnicos da polícia do Estado. O laudo fica pronto em até 30 dias e a instituição abrirá inquérito se houver indício de que houve um crime.

Paschoal, que morava em Ubá, esteve no Buritis, na região Oeste de BH, para passar o Natal na casa da filha. Assim como ele, os outros homens (de 23 a 76 anos) que tiveram a doença misteriosa estiveram no mesmo bairro. O genro de Paschoal também é uma das vítimas internadas. O quadro dele é grave, porém estável. Como não se sabe quais são as causas da enfermidade, moradores da região estão com medo de circular por comércios e ruas

O aumento dos casos provocou disseminação de boatos nas redes sociais. Em algumas das mensagens compartilhadas, os autores associaram os sintomas ao consumo de uma cerveja ou a produtos comprados em um supermercado. A Vigilância Sanitária, porém, não confirma nenhuma das hipóteses, e investiga o caso.

Leia mais:
Surto tem novos casos e medo no bairro Buritis aumenta
Sobe para oito o número de homens supostamente infectados com 'doença misteriosa'
Vítimas de doença misteriosa são homens de 23 a 76 anos; veja os sintomas da enfermidade