A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos “Fura-Fila”, criada para apurar supostas irregularidades na vacinação de servidores da Secretaria de Estado da Saúde de Minas (SES-MG) contra a Covid-19, também vai investigar a imunização de funcionários da Assembleia Legislativa do Estado (ALMG).

Uma lista com nomes de 55 pessoas foi divulgada pelo presidente da Casa, deputado Agostinho Patrus (PV), em uma publicação nas redes sociais. Na noite de quinta-feira (18), ele confirmou o recebimento da listagem e disse que o documento seria encaminhado à "CPI dos fura-filas da vacinação para sabermos se receberam o imunizante de forma devida e de acordo com os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, complementou.

Toda a relação refere-se à funcionários do setor da saúde, como médicos, psicólogos, dentistas, assistente social e profissionais de enfermagem. “Independente de serem servidores da Secretaria de Estado de Saúde, da Assembleia Legislativa ou de qualquer outro órgão público, todos, repito, TODOS serão devidamente investigados pela CPI dos Fura-filas da vacinação”, concluiu.

A CPI já investiga a vacinação de 2.680 pessoas que trabalham na Secretaria de Estado de Saúde, em cidades do interior de Minas e na capital, Belo Horizonte. Duas listas de funcionários já haviam sido entregues à ALMG.

A última, enviada nesta quarta (17) pela SES, traz os nomes de 1.852 servidores de regionais da pasta. Entre os nomes estão funcionários em home office. Além de tal relação, uma outra, com 828 nomes de funcionários lotados na sede da SES, na capital mineira, já havia sido incluída nos documentos da CPI.

Por conta da polêmica, o governador Romeu Zema (Novo) definiu pelo afastamento do ex-secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, na última semana, e anunciou Fábio Baccheretti como novo titular da pasta.

Hoje em Dia não publicou os nomes de ambas as listas porque o caso está sob apuração. Ainda não há confirmações se essas pessoas não deveriam, de fato, receber a imunização, ou se fazem parte de algum grupo prioritário. 

CPI dos Fura-Fila

A comissão inaugurou os trabalhos, oficialmente, na quinta-feira. O presidente será o deputado João Vitor Xavier (Cidadania) e o vice o petista Ulysses Gomes, autor do requerimento que culminou na criação da comissão. Ambos foram eleitos por unanimidade entre os colegas. O relator será o parlamentar Cássio Soares (PSD). 

Também no Twitter, o deputado Agostinho Patrus, que apoiou desde a semana passada a instauração do processo investigativo, declarou que a CPI "não é para prejudicar o governo". "Para mim, é para ajudar o governo a investigar uma denúncia grave, corrigir o erro e responsabilizar culpados. Tenho certeza que o governador Zema apoia a CPI", afirmou.

A Comissão Parlamentar de Inquérito terá 120 dias para apresentar relatório final sobre o assunto.

Leia mais: 
Nova lista com nomes de 1.852 servidores vacinados em Minas mostra que 134 estão em home office
CPI dos Fura-Fila inicia trabalhos com definição de presidente, vice e relator
BH amplia UTIs para pacientes com Covid-19, mas rede privada já tem até lista de espera por vaga