Desde 29 de outubro, a avenida Teresa Cristina já foi bloqueada oito vezes por causa de risco de transbordamentos dos rios Arrudas e Ferrugem. Em quatro dessas situações realmente houve registro de inundações e estragos. O trecho mais crítico está sempre entre o Betânia, na região Oeste de Belo Horizonte, e o Bairro das Indústrias, em Contagem, na região metropolitana.

Somente nesta semana, foram registradas duas inundações na avenida. Na noite de quarta-feira (15), a água invadiu a casa de moradores e estabelecimentos comerciais, além de arrancar parte do asfalto. Durante a madrugada desta sexta (17), uma nova enchente danificou reparos que haviam sido feitos na pavimentação.

Confira vídeo feito por uma moradora da Vila São Paulo da enchente na noite de quarta-feira:

A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) informou que, nesta manhã, já tinha uma equipe da prefeitura mobilizada na Avenida Teresa Cristina para mitigar os impactos da última chuva – serviços de limpeza, tapa-buraco e remoção de resíduos de galhos de árvores. Mas, como o material de base do pavimento ainda está muito encharcado,  não será possível fazer a recomposição, segundo a pasta.

Para impedir os casos de inundações na avenida, deve-se trabalhar para que não haja mais transbordamento do ribeirão Arrudas e do córrego Ferrugem, além de alguns de seus afluentes. De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, uma obra concluída para resolver a questão foi o túnel Camarões, com a implantação de duas bacias.

Está prevista para terminar neste semestre a obra referente ao sistema de esgotamento sanitário da Bacia do Córrego Bonsucesso, com custo de R$ 13 milhões. O projeto envolve bacias, tratamento de fundo de vale e saneamento. Tem ainda obra de tratamento de fundo de vale da sub-bacia do córrego da Rua Marselhesa e seu entorno, além de microdrenagem nos córregos Olaria e Jatobá, também com previsão de término até meados deste ano.

A prefeitura informou que deve iniciar no primeiro semestre a implantação da bacia de detenção do bairro das Indústrias que contribuirá para mitigar os impactos na região da Avenida Teresa Cristina. O investimento é de R$ 28,9 milhões, graças a recursos da Caixa e do Ministério de Desenvolvimento Regional.

Histórico recente

Após temporal desta quarta-feira, muita gente que vive ou trabalha às margens da avenida Teresa Cristina teve de contabilizar os estragos. Um homem perdeu todas as roupas expostas em um bazar beneficente, feito para arrecadar dinheiro para bancar o tratamento do filho caçula, de 3 anos, portador de uma doença rara.

No dia 1º de dezembro, mais uma enchente foi registrada na via e um homem chegou a ficar ilhado em cima de seu carro. Ele conseguiu ser resgatado pela Guarda Municipal e foi encaminhado ao hospital com escoriações por todo o corpo.

No dia 29 de outubro, foi registrada a primeira grande precipitação do período chuvoso entre 2019 e 2020. A avenida Teresa Cristina foi bloqueada, mas veículos foram arrastados mesmo com a ação de precaução. Essa foi a primeira vez em que os motoristas tiveram a rota desviada pelo Waze após o bloqueio da via.  

Leia mais:
Em apenas 12 horas, chove um terço do esperado para todo o mês nas regiões Oeste e Barreiro
Após temporal da madrugada, Grande BH registra deslizamentos; ônibus foi atingido por pedra na MG-30
Obras de menos e lixo demais: toneladas de entulho potencializam enchentes em BH
Após terceiro temporal na semana, Defesa Civil de BH emite alerta para mais pancadas de chuva