O homem de 57 anos que foi flagrado usando uma braçadeira com símbolo nazista em um bar de Unaí, na região Noroeste de Minas, foi indiciado por discriminação racial. 

Segundo a Polícia Civil, o inquérito será enviado à Justiça e a pena prevista para este crime é de cinco anos, além de multa. 

A imagem circulou nas redes sociais e mostra o homem sentado em um bar do Centro da cidade usando uma suástica no braço no último sábado (14). No dia do ocorrido, clientes do bar chegaram a acionar a Polícia Militar para que fosse tomada alguma providência.

suástica unaí

Na terça-feira (17), foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa e fazenda do suspeito, mas os agentes não encontraram nada de ilícito ou vinculado ao nazismo. No mesmo dia, o homem compareceu à delegacia para prestar depoimento e alegou sofrer de depressão e ansiedade. 

Ele contou aos policiais que pesquisou sites na internet que diziam que, antes do movimento nazista, a cruz suástica era utilizada como um amuleto da sorte. O celular do investigado foi periciado e segundo o delegado Leandro Coccetrone, foram encontrados registros no aparelho. “Ele realizou pesquisa em 35 sites diferentes, durante alguns bons minutos. Por isso, a nosso ver, ele também tinha conhecimento que a cruz suástica era utilizada pelos nazistas”, explicou.

O indiciado é pecuarista e dono de uma empresa que cria bois para corte.

A suástica é um símbolo nazista utilizado por Hitler e seus seguidores na Alemanha. No Brasil, o uso de símbolos nazistas é crime. O artigo 20 da Lei 7.716/89, alterada pela Lei 9.459/97, fala que "fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo", tem pena de reclusão de um a três anos e multa.