A proximidade de mais uma data comemorativa - Dia dos Namorados, no sábado (12) - reforça a necessidade de cuidados para barrar o contágio pelo novo coronavírus. Fugir das aglomerações deve ser regra, destaca o infectologista Unaí Tupinambás, membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 em Belo Horizonte.

Conforme o médico, mesmo com as recentes flexibilizações na capital, atividades não essenciais devem ser evitadas, pois o atual momento ainda é "perigoso". Nessa quarta-feira (9), a PBH anunciou novas medidas, autorizando a ampliação do horário de bares e restaurantes até 22h, todos os dias. Excepcionalmente neste sábado, o funcionamento será até 1h.

Com o número de novos casos em alta e a ocupação dos leitos no alerta máximo, o médico pede que as pessoas não “relaxem” neste momento, mantendo o isolamento social. O melhor “é ficar em casa”. 

“Bares e restaurantes fechados deveriam ser evitados. Se for, fique em um ambiente aberto e mantenha distância de dois metros. Mas é melhor é não ir, melhor é ficar em casa nesse momento”, disse Unaí Tupinambás, ao Hoje em Dia (confira vídeo abaixo).

Ainda conforme o especialista, a situação vivida diante da pandemia ainda é “muito complexa”. Por isso, orientou que as pessoas usem duas máscaras de proteção ao sair às ruas, principalmente no transporte público.

“Alguns estados estão enfrentando um agravamento da pandemia e pode ser que afete Belo Horizonte e Minas Gerais. Mais do que nunca, as pessoas devem usar duas máscaras de boa qualidade. Pode ser máscara caseira, mas duas. Principalmente no transporte coletivo, que é uma das nossas fraquezas no enfrentamento da pandemia. Nestes locais, é preciso ficar em silêncio”, avaliou.

Unaí Tupinambás ainda lembrou que as variantes em circulação em Minas são mais agressivas e transmissíveis. O infectologista reforçou que o inverno e o “cansaço pandêmico” podem precipitar o agravamento da pandemia.

Veja o vídeo abaixo:

Volta às aulas

Também nessa quarta, a prefeitura de BH autorizou o retorno das aulas presenciais para alunos do ensino fundamental, de 6 a 12 anos. A retomada será a partir do dia 21. Os estudantes vão frequentar a escola duas vezes por semana, por até três horas diárias, e serão divididos em microbolhas – de até seis crianças.

“Quase toda a comunidade escolar já está vacinada. Lembrando que eles foram imunizados com a  AstraZeneca que, depois de três a quatro semanas, tem proteção em torno de 75%, um bom sinal”, afirmou o médico, que pediu para que aqueles que apresentem qualquer sintoma de Covid evitem ir às instituições de ensino.

“Nós todos estamos na fila de vacinação e acredito que até o fim do ano grande parte já tenha tomado pelo menos uma dose. Estamos quase lá, então não é o momento de relaxar”.

Leia mais:
Mortes de crianças e adolescentes por Covid-19 chegam a 102 em Minas
Essenciais, motoristas de ônibus e garis de BH comemoram vacinação e lembram do medo da Covid
BH: nova fase da volta às aulas será 'em bolhas', duas vezes por semana, para alunos de 6 a 12 anos