Os irmãos acusados de matar o advogado Juliano César Gomes, em maio de 2020, foram condenados por roubo, homicídio qualificado e destruição, subtração ou ocultação de cadáver. J.F.N. e J.M.F.N. foram sentenciados, respectivamente, a 32 anos e 45 dias-multa e a 24 anos, 5 meses e 40 dias-multa.

O julgamento aconteceu na quinta-feira (29), em Sete Lagoas, na região Central de Minas. Eles vão continuar detidos. De acordo com a Promotoria, a dupla agiu a mando de outro advogado, amigo da vítima.

As investigações apontaram que Juliano seria testemunha em um caso envolvendo o mandante do crime. Porém, teria avisado que não iria mentir em juízo. A morte da vítima seria uma queima de arquivo.

Juliano foi atraído ao local do assassinato acreditando que iria se encontrar com uma mulher. No entanto, o rapaz foi rendido pelos irmãos e morto. O corpo foi encontrado em Felixlândia, a 23 quilômetros de Sete Lagoas.

Leia mais:

Bairros da Grande BH vão ficar sem água no domingo; veja a lista
Ônibus vão circular até 1h em BH após flexibilização do funcionamento dos bares e restaurantes
Primeira etapa de obras para acabar com inundações é concluída no Vale do Sol, em Nova Lima