Em apenas oito dias, já choveu em Belo Horizonte mais do que o esperado para todo o mês de fevereiro. Nas regiões Centro-Sul e Noroeste, por exemplo, o volume de água da chuva já foi mais de 50% maior do que a média histórica do período, que é de 181,4 mm.

Segundo a Defesa Civil, entre as 21h de sábado (6) e 21h de domingo (7), quatro das nove regionais registraram acúmulo maior que a expectativa do mês inteiro. Em 24 horas, choveu 212,2 mm na Centro-Sul; 210,8 mm em Venda Nova e 205 mm na Noroeste. 

Veja o acumulado de chuvas até as 11h desta segunda (8):

Barreiro: 208,6 (115,0%)
Centro Sul: 286,8 (158,1%)
Leste: 219,6 (121,1%)
Nordeste: 250,0 (137,8%)
Noroeste: 305,2 (168,2%)
Norte: 209,0 (115,2%)
Oeste: 208,0 (114,7%)
Pampulha: 226,4 (124,8%)
Venda Nova: 250,6 (138,1%)

Domingo de tempestades

As fortes chuvas deste domingo causaram muitos transtornos aos moradores da capital, quando ruas ficaram alagadas, pessoas desabrigadas e imóveis foram ao chão. Conforme o órgão, entre sábado e esta segunda, foram 131 solicitações de vistorias de risco via telefone 199. A maioria delas foi em imóveis particulares nas regionais Noroeste e Centro Sul.

To total, 12 são de alagamento, três de danificação ou destruição de edificações, duas de desabamento de telhados, 11 de desabamento parcial de muro de arrimo, 12 de deslizamento de encosta, 15 de enchentes ou inundações, 11 de infiltração, quatro de queda de material e 18 de trincas em imóveis.

Ocorrências de risco contabilizam cinco de danificação ou destruição de habitações, 12 de desabamento de muro de arrimo, 12 de deslizamento de encosta, duas de risco ou ameaça de alagamentos e três de risco ou ameaça de enchentes ou inundações.

Alerta de deslizamentos

Por conta do grande volume de água, a Defesa Civil emitiu um comunicado na noite de domingo chamando a atenção sobre risco geológico em todas as regionais de BH até terça-feira (9). Recomenda-se atenção no grau de saturação do solo e nos sinais construtivos.

Segundo o órgão, os moradores devem ficar atentos aos sinais de que os deslizamentos podem acontecer. Os principais são trincas nas paredes, água empoçando no quintal, portas e janelas emperrando, rachaduras no solo, água minando da base do barranco e inclinação de poste ou árvores. Veja as recomendações:
⠀⠀⠀
- Coloque calha no telhado da sua casa
- Conserte vazamentos em reservatórios e caixas-d'água
- Não jogue lixo ou entulho na encosta
- Não despeje esgoto nos barrancos
- Não faça queimadas

Leia mais:

Tempo chuvoso deve continuar em BH ao longo da semana, mas com menor intensidade; veja a previsão
Bombeiros atenderam 56 chamados de salvamento em áreas alagadas neste fim de semana na Grande BH