De 6h às 9h e de 16h30 às 20h. Esses são os novos horários de funcionamento do metrô de Belo Horizonte a partir desta segunda-feira (23). Nos demais períodos, os trens não vão circular como medida de prevenção à proliferação do novo coronavírus.

A escala foi determinada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que impediu a paralisação total dos trens. No domingo (22), o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos (Sindimetro-MG) havia anunciado que nenhum vagão iria rodar. "É uma decisão difícil para todos, mas necessária", declarou a categoria em nota.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) recorreu e conseguiu liminar judicial definindo a escala mínima de operação do metrô. Na decisão, o desembargador Manoel Barbosa da Silva determinou que no mínimo 50% dos funcionários trabalhem, "de modo a assegurar o fornecimento do transporte público de passageiros e das atividades de operação e manutenção". Em caso de descumprimento, o sindicato terá que pagar multa diária de R$ 100 mil.

Representantes do Sindimetro foram procurados pela reportagem do Hoje em Dia nesta manhã e informaram que estão cumprindo a determinação. "Agora vamos decidir como agiremos daqui para frente", disse Romeu Machado, presidente do sindicato. No domingo, a categoria havia informando que vai continuar atenta "ao avanço da pandemia e exigir do governo do Estado de Minas Gerais e do governo federal que apliquem medidas que garantam a segurança de todos os trabalhadores do Estado e do país".

A CBTU garantiu que "não está medindo esforços para preservar seus funcionários, ao mesmo tempo em que propõe atender, mesmo que em horários reduzidos, a população num momento tão delicado". Em comunicado, a companhia ressaltou que que muitos profissionais da saúde e prestadores de serviços essenciais ao público necessitam chegar aos seus destinos e, por isso, a importância do funcionamento dos trens.

"A CBTU-BH está operando com trens acoplados mesmo no horário reduzido, com o objetivo de possibilitar uma distância de segurança dos usuários no interior dos vagões", ressaltou.

Segurança

Os funcionários da CBTU que se encaixam nos grupos de risco, como maiores de 60 anos, gestantes, hipertensos, portadores de diabetes, asma, pneumonia, tuberculose, câncer, pacientes renais crônicos e transplantados, foram liberados. "Todos os colaboradores que apresentaram sintomas característicos da doença foram afastados e todos aqueles que tiveram contato com quem apresentou estes sintomas foram colocados em quarentena. Os menores aprendizes que prestam serviço à Companhia foram liberados de suas funções", explicou.

Já para os funcionários que continuam trabalhando, a companhia está disponibilizando luvas de borracha e álcool gel em todas as estações. Além disso, ressaltou que as estações também possuem banheiro com lavatório, papel toalha e sabonete líquido à disposição dos colaboradores.

Números

Minas Gerais tem 83 casos confirmados da Covid-19. As notificações suspeitas dispararam e agora são para 7.190. No Brasil, a doença fez ao menos 25 mortos e 1.620 vítimas até agora.

Leia mais:
Metrô de Belo Horizonte será paralisado nesta segunda-feira por causa do coronavírus
Férias podem ser solução para patrão e empregado nesta época de coronavírus
Medidas mais restritivas são adotadas em Minas em meio ao avanço da Covid-19