Motores de avião que caiu com Marília Mendonça são transportados para Goiânia nesta quarta

Marina Proton
mproton@hojeemdia.com.br
10/11/2021 às 09:04.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:13
 (Reprodução/Twitter)

(Reprodução/Twitter)

Os motores do https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/queda-do-avi%C3%A3o-da-cantora-mar%C3%ADlia-mendon%C3%A7a-em-minas-deixa-cinco-mortos-1.861666 que caiu com Marília Mendonça e outras quatro pessoas, na última sexta-feira (5), em Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, estão sendo levados para Goiânia nesta quarta (10). A informação foi confirmada pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). 

O material será encaminhado ao Centro de Serviços Aeronáuticos (CSA) localizado na capital de Goiás que, de acordo com o Cenipa, possui a estrutura e disponibilidade necessárias para que os técnicos do terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) realizem a análise dos equipamentos. 

Na noite dessa terça (9), os destroços chegaram ao Rio de Janeiro para perícia. A análise será realizada em coordenação com o operador da aeronave. 

“O objetivo das investigações realizadas pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A conclusão terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes”, informou o órgão por meio de nota. 

O acidente

Marília Mendonça estava em um bimotor com capacidade para seis passageiros. Segundo informações da Anac, o avião estava em situação regular. A aeronave decolou de Goiânia com destino a Caratinga, onde a cantora teria uma apresentação na noite de sexta-feira. 

A queda deixou cinco mortos. Além da artista de 26 anos, o produtor Henrique Ribeiro, o tio e assessor da cantora, Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto Tarciso Pessoa Viana também morreram.

O acidente ocorreu próximo a uma queda d’água, na zona rural da cidade mineira. Antes de cair, o avião bateu em cabos de alta tensão de uma torre de distribuição da Cemig.

Segundo disse o delegado Ivan Salles à TV Globo, os cabos foram encontrados enroscados na aeronave. No entanto, ainda não é possível afirmar que o fio seri o que se rompeu. "Agora, a gente só vai poder afirmar quando a perícia tiver o laudo pericial”, explicou.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por