Uma mulher de 56 anos, acusada de atear fogo e matar o companheiro, de 35, vai a júri popular nesta terça-feira (14) em Belo Horizonte. Segundo a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), ela não aceitava o fim do relacionamento.

O crime aconteceu em outubro de 2012, no bairro Olhos D'Água, região Oeste da capital. As investigações apontam que a vítima foi dopada com dois comprimidos para dormir diluídos em um copo com café com leite, preparado pela mulher. Após a sonolência, ela jogou álcool no corpo do homem e ateou fogo.

O MPMG ainda relata que a acusada assistiu à cena e não prestou qualquer socorro. No decorrer do processo, a mulher afirmou que o casal discutiu pouco tempo antes do crime, e que a intenção era marcá-lo para que nenhuma outra mulher ficasse com ele.

Conforme a denúncia, o crime foi praticado com dois agravantes: o uso de fogo e recurso que impossibilita a defesa da vítima, além de motivo torpe.

Leia mais: 
Casos da variante Delta do coronavírus aumentam 50% em Minas; são 7 registros da cepa Mu
BH aplica a segunda dose da CoronaVac em pessoas de 28 anos nesta terça-feira