Uma mulher de 33 anos está internada em Belo Horizonte desde domingo (28), quando testou positivo para a Covid-19 dias depois de uma viagem à África. O alerta se deu porque ela esteve no continente apontado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como local de descoberta da nova variante do vírus, a Ômicron.

A mulher passou pelo Congo, no centro da África, depois esteve na Turquia, na Europa, e chegou a BH no dia 20 de novembro, após escala em São Paulo. Com sintomas da doença, ela procurou atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Hospital Odilon Behrens, na região Noroeste da capital. Sem estar vacinada contra a Covid-19, segundo a Prefeitura, e com teste positivo para o coronavírus, a paciente foi encaminhada ao Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, onde permanece isolada.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reforça que "os protocolos de barreira sanitária nos aeroportos são estabelecidos pelo Ministério da Saúde". A pasta confirma que monitora todos os pacientes vindos do exterior e diz que os casos suspeitos ou confirmados da Covid devem receber atendimento já no aeroporto onde a pessoa desembarca.

De acordo com a Prefeitura de BH, o boletim médico da mulher será inicialmente passado apenas para a família. Por sua vez, a SES confirma que Minas ainda não registrou casos da variante Ômicron.

Barrados

No último sábado (27), o Governo Federal publicou uma portaria que proíbe, temporariamente, voos destinados ao Brasil com passagem por seis países africanos nos últimos 14 dias: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

 

Leia mais:
Chuva deve atingir BH durante toda a semana; veja previsão do tempo
Candidato do Enem é detido em Contagem com celular e ponto eletrônico durante a prova