Em meio ao crescimento dos casos e das taxas de transmissão de Covid-19 em Belo Horizonte, o prefeito Alexandre Kalil deu um ultimato à população nesta quarta-feira (25). Segundo ele, se for preciso, a cidade irá regredir na flexibilização social.

‘Nós não vamos fechar a cidade, ainda’, afirmou o prefeito Alexandre Kalil.

Apesar de o chefe do Executivo optar por manter o atual regime de flexibilização, indicadores demonstram que há duas semanas a taxa de transmissão por infectado na capital mineira permanece acima de 1, o que significa que o vírus está circulando pela cidade.

O boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (25) pela Secretaria Estadual de Saúde mostra que BH é o epicentro da pandemia no Estado, com 51.496 casos confirmados da doença, além de 1.619 mortes.

Na quarta-feira (24), conforme dados da PBH, a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid só no SUS era de 40,4% e a de enfermaria 38,1%.

Leia mais:

BH autoriza abertura do comércio nos três domingos que antecedem o Natal

‘Estamos avisando os baderneiros: vão ser presos’, disse Kalil; fiscalização será reforçada em BH