Leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública da macrorregião de saúde Triângulo do Norte estão quase esgotados. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), das 254 unidades, 235 estão ocupadas na regional, número equivalente a 92,5% do total. Por conta disso, pacientes precisaram ser transferidos para outras cidades de Minas.

Ainda conforme a SES, apenas 19 vagas estão disponíveis para as outras doenças. Os pacientes diagnosticados ou com suspeita de Covid-19, por outro lado, ocupam 114 vagas, ou 44% das UTIs.

Nesse fim de semana, hospitais de Divinópolis, na região Centro-Oeste, receberam nove pacientes de dois municípios das regiões do Alto Paranaíba e Triângulo. Cinco pessoas foram transferidas de Coromandel e outras quatro de Monte Carmelo.

Segundo o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, o Estado tem agido rapidamente. “Mobilizamos médicos e enfermeiros para a assistência aos pacientes durante o transporte aeromédico, realizado em parceria com o Batalhão de Operações Aérea dos bombeiros, além do acompanhamento por parte da União e da Força Aérea Brasileira”.

No sábado, o prefeito de Monte Carmelo, Paulo Rocha (PSD), fez um apelo nas redes sociais e informou que a cidade já não possuía mais cilindros de oxigênio suficientes para atender pacientes com a doença. Na ocasião, ele disse que o município iria transferi-los para outras localidades.

De acordo com o secretário, a solicitação de vagas tem sido acompanhada de forma constante pelas Centrais Regionais de Regulação Assistencial, que avaliam as condições clínicas dos pacientes para a transferência.

“Em relação à disponibilidade de gases medicinais, especialmente o oxigênio, a área técnica da SES-MG esclarece que o fornecimento do insumo encontra-se normalizado. Pontualmente, no município de Monte Carmelo havia a necessidade por cilindros de oxigênio, o que foi resolvido”, garantiu a secretaria.

Alta de casos no Triângulo

Diante do aumento nos casos de Covid-19 no Triângulo Mineiro, a subsecretária de Vigilância em Saúde, Janaína Passos, alertou sobre a necessidade de manter o distanciamento social. De acordo com dados do Vacinômetro, painel de monitoramento da imunização da SES, a macrorregião aplicou a primeira dose da vacina em 22 mil moradores. Já a segunda, em 6,6 mil. “É importante lembrar que há um tempo para as pessoas ficarem imunizadas com a vacina e os cuidados devem ser mantidos”, afirmou.

Leia mais:

Se vacinas chegarem, BH irá imunizar toda a população contra a Covid-19 até o fim do ano
Vacinação de idosos com mais de 86 anos deve terminar nesta sexta em BH, diz secretário