O Parque Nacional da Serra do Cipó, na região Central de Minas Gerais, voltou a ser reaberto para visitação nesta segunda-feira (14) após ter sido atingido por um incêndio de grandes proporções. As chamas na área de conservação duraram três dias e consumiram uma área de aproximadamente 4,5 mil hectares. A extensão queimada equivale a 15% do território do parque, que tem 33,8 mil hectares.

O parque abre diariamente, das 8h às 18h, e tem entrada gratuita. Dentro dele estão algumas das principais cachoeiras da região, como as Andorinhas, Gavião e Farofa. 

Segurança

O fogo atingiu o parque na quarta-feira (9), mas começou nos arredores dele um dia antes. O técnico ambiental e gerente do fogo Ronaldo Mattos informou que 70 pessoas, entre brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da força-tarefa Previncêndio e do Corpo de Bombeiros, trabalharam para combater o fogo. 

"As chamas foram extintas às 10h25 de sábado, mas por questão de segurança o parque permaneceu fechado também no domingo", explicou. O especialista do ICMBio informou que, após um grande incêndio, a unidade de conservação permanece em estado de emergência. "É preciso tempo para reorganização, e o parque fica sem estrutura para receber pessoas", detalhou.

Segundo Mattos, os impactos sobre as espécies da fauna e da flora ainda estão sendo apurados. Já com relação à recuperação da área devastada, ele explicou que a própria natureza se encarrega da regeneração.

Turismo

Apesar da entrada ser franca, vários turistas optam por se instalar em pousadas que ficam no parque. Por causa da interdição do fim de semana, àqueles que compraram pacotes ou agendaram hospedagem para a região durante o feriado têm o direito de requisitar a restituição dos valores ou o reagendamento de data, de acordo com o Procon do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

Leia mais:
Incêndio de grandes proporções atinge casas no bairro Taquaril
Incêndio na Serra do Cipó é controlado, mas parque segue monitorado e fechado para visitação
Incêndio de cinco dias destrói 20% do Parque Nacional da Serra do Cipó
Com Serra do Cipó em chamas, turistas podem cancelar hospedagem e receber valor de volta