Após reunião entre a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e representantes do comércio da capital mineira, a administração municipal informou que vai analisar, ao longo desta semana, a proposta de ajustes no protocolo sanitário em prevenção à Covid-19 enviada pelas 24 entidades que estiveram presentes no encontro desta terça-feira (12).

Conforme a PBH, o documento será encaminhado ao município, que analisará a viabilidade juntamente com o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da Covid-19, durante conferências marcadas para esta quarta-feira (13) e sexta (15). 

Além dos representantes de associações, participaram da reunião os secretários de Governo, Adalclever Lopes; de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis; e de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Beato; além dos vereadores Juliano Lopes (PTC) e Reinaldo Gomes (MDB).  
                      
Durante o encontro, o secretariado reforçou que a regressão para a fase de controle foi implementada para diminuir o fluxo de pessoas nas ruas e que não há caráter punitivo ou de culpabilidade ao comércio e adiantou que qualquer movimentação no sentido da liberação depende de melhoria em índices epidemiológicos e assistenciais na cidade.

Por outro lado, as entidades alegaram que não há dados que correlacionem o aumento do número de casos graves com a reabertura do comércio ocorrida no segundo semestre do ano passado e pediram que a decisão de fechamento seja revista.

“O que observamos é que há uma conjuntura de fatores que direcionam à elevação do número de casos, graves ou não, mas que não apresentam conexão direta com o funcionamento do comércio na capital”, disse o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, em nota. 

Alinhamento com prefeituras da RMBH

Durante a reunião, o secretário Adalclever Lopes sinalizou que a administração municipal vai se encontrar com prefeitos da Região Metropolitana nos próximos dias para discutir novas ações de enfrentamento à pandemia. Mais cedo, o prefeito Alexandre Kalil (PSD), em entrevista à Rádio Itatiaia, comentou sobre a flexibilização na Grande BH, mas afirmou não coordenar nenhum movimento conjunto.

“A gente conversa, mas eu não coordeno nada, eu não sou líder de nada. Toda vez que fui chamado para reuniões no Palácio do Governo, junto com os prefeitos, eu fui. Agora, eu não coordeno nada. Eles estão vendo o que está acontecendo”, disse. 

Leia mais:
PBH aumenta punição para comércio que descumprir normas de combate à Covid; veja novo valor da multa
'Sou o culpado de tudo que acontece nessa cidade sim', rebate Kalil após críticas de Bolsonaro
Comércio seguirá fechado em BH mesmo com protestos: "desobediência civil não vai colar", diz Kalil