Plano da barragem de Carioca para avaliação de ações e riscos de rompimento só esta terça

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
10/01/2022 às 19:49.
Atualizado em 18/01/2022 às 00:52
 (Divulgação Prefeitura Pará de Minas)

(Divulgação Prefeitura Pará de Minas)

Defesa Civil, Prefeitura, Polícia Militar e Bombeiros mantêm o monitoramento na barragem da Companhia Têxtil Santanense em Carioca, distrito de Pará de Minas, na região Centro-Oeste, em um dos centros de comando que foram montados por causa da ameaça de rompimento da estrutura. Segundo a Prefeitura, foi identificada uma fratura no duto que leva água ao gerador da usina que está sendo acompanhada.

A operação da hidrelétrica que gerava energia para a fábrica de tecidos foi suspensa, depois que a barragem construída no início da década de 1970, segundo o prefeito do município, Elias Diniz (PSD), apresentou risco de colapso, com o alto volume de chuvas na região.

De acordo com Diniz, a média anual de chuvas é de 1.000 mm e, em 2021, o índice chegou a 1.700 mm. Só nos primeiros dias de janeiro, já choveu 190 mm. E a água já escapa pelas laterais do paredão da barragem.

Barragem da empresa Santanense, no distrito de Carioca, em Pará de Minas, é monitorada por risco de rompimento. 130 pessoas de ao menos três cidades a jusante (abaixo) da barragem foram obrigadas a sair de casa.Crédito: Prefeitura de Pará de Minas pic.twitter.com/wBoxjONwJf— Jornal Hoje em Dia (@jornalhojeemdia) January 10, 2022

Segundo o plano de emergência apresentado pela empresa, a mancha de inundação atinge vários municípios. Das mil pessoas que vivem no distrito, 30 tiveram de ser retiradas com urgência nesse domingo (9), como precaução e estão em casas de parentes. Outras 100 que moram nos municípios de Onça do Pitangui e Conceição do Pará foram levadas para abrigos nessas cidades.

O prefeito de Pará de Minas informou que a empresa contratou engenheiros para elaborar o plano que vai servir de base para avaliar as condições da barragem e o risco real de rompimento, que deve ser entregue à administração municipal nesta terça (11).

Elias Diniz disse que outro problema no município é o prejuízo para produtores rurais. De acordo com ele, 60% da economia é voltada para a criação de porcos. Várias granjas de suínos foram atingidas pela enchente e muitas matrizes reprodutoras foram perdidas. Segundo o prefeito, só quando a água baixar e o tempo firmar é que a Prefeitura terá condições de avaliar os prejuízos. Nesta terça, somente o QG de comando de Conceição do Pará ficará em operação.Prefeitura de Pará de Minas / divulgação

Produtores rurais têm prejuízo com a morte reprodutoras em granjas de suínos em Pará de Minas 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por