Dois homens que teriam participado de uma tentativa de assalto a uma médica no bairro Belvedere, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, foram presos, na madrugada deste sábado (2). Durante o crime, que aconteceu na sexta-feira (1º), o pai da vítima atirou em um dos suspeitos, que morreu no hospital. Um quarto bandido continua foragido.

De acordo com a Polícia Militar, um dos ladrões, de 29 anos, foi detido no bairro Ipiranga, na região Nordeste da capital. Com ele, os agentes apreenderam uma réplica de arma, munição de calibre .32 e a chave do veículo que foi utilizado no roubo. O suspeito disse que foi obrigado a participar do crime e delatou um dos comparsas, que também foi detido. 

Ameaça

De acordo com o Boletim de Ocorrência, a PM chegou até o primeiro suspeito depois que um empresário, que possui frota de veículos para alugar para motoristas de aplicativos, acionou a corporação. Ele informou que teria recebido um telefonema de uma das pessoas que alugou um carro e que seria motorista de aplicativo, relatando que teria sido obrigada a participar de um assalto. 

Para o empresário, essa pessoa contou que a ligação teria sido feita de dentro do presídio e ele deveria pegar três homens em endereços diferentes. E durante a corrida, o trio falou que faria o assalto. Contudo, o crime foi frustrado quando o pai da vítima reagiu e atirou em um dos homens. O motorista do app disse que chegou a ir a uma delegacia para prestar depoimento, mas teria sido liberado.

A PM rastreou o veículo pelo GPS e encontrou o automóvel abandonado em uma rua sem saída do bairro Ipiranga. Posteriormente, os militares seguiram até a casa do suspeito. Lá, o homem confirmou que foi obrigado a pegar dois homens no Morro do Papagaio, em BH, e um terceiro no bairro São Benedito, em Santa Luzia. 

O trio teria contado sobre o assalto e dito que dividiria o dinheiro roubado por cinco. Ainda na versão do motorista, como o pai da médica atirou e baleou um dos suspeitos, ele e os outros dois rapazes fugiram.

Contradição

Depois da confissão, a PM foi até a casa do segundo suspeito, que negou participação em qualquer crime. No entanto, segundo a PM, o rapaz entrou em contradição e disse que não teria envolvimento na tentativa de assalto no Belvedere, só que a PM não havia pergutando sobre o delito.

Mesmo negando o crime, o motorista de aplicativo confirmou que o suspeito tinha envolvimento no caso. Ele relatou que o homem estava ao lado dele, no banco da frente do veículo e, quando descia para o assalto, ouviu o tiro e retornou ao carro.

O empresário dono do veículo ficou de disponibilizar para a PM o registro do GPS do veículo. A ocorrência foi registrada na Central de Flagrantes (Ceflan) 1 e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Leia mais:
Suspeito de assalto baleado por idoso no Belvedere morre no hospital
Idoso atira na cabeça de assaltante ao ver a filha médica rendida no Belvedere