A Polícia Militar informou que até o fim desta semana pretende entregar para o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) um relatório com todas as ocorrências registradas durante o show surpresa que a cantora Marília Mendonça fez na noite desta segunda-feira (7) na Praça da Estação, no hipercentro de BH. No entendimento da corporação, a organização do evento é responsável pelos 46 registros de violência que aconteceram no espetáculo.

A culpa seria da equipe que promoveu o show, conforme o major Flávio Santiago, porta-voz da PM no Estado, porque eles não disseram que a cantora seria a atração do evento. Por isso, a PM alega que não teve tempo hábil para fazer o planejamento de segurança. "Os organizadores omitiram que o show seria de Marília Mendonça. Por isso eles serão responsabilizados, sim. A Prefeitura de Belo Horizonte e a PM já estão em produção de um relatório para o Ministério Público, porque com segurança pública não se brinca", destacou Santiago.

De acordo com o major, a equipe da sertaneja pode responder por todos os danos e prejuízos causados em decorrência do show. "Não podemos agir de forma amadora. Com segurança pública nós não brincamos. Qualquer organização de evento precisa interagir (com a PM). E nós não mediremos esforços para noticiar o Ministério Público", reforçou.

Ainda segundo o porta-voz da PM, os organizadores do evento podem responder nas esferas cíveis, penais e administrativas.

Defesa

A equipe da cantora informou, por nota, que o show foi surpresa somente para o público. "Todas as autoridades locais são previamente avisadas e as autorizações solicitadas aos órgãos de segurança local, que libera o alvará para a realização do evento", garantiu. 

No comunicado, os organizadores defenderam que, além da PM e da Guarda Municipal, também contrataram mais de 100 seguranças privados para fazer a segurança do evento.

Marília Mendonça lamentou a situação e disse que o show gratuito é uma maneira de retribuir o carinho que recebe dos fãs. "A cantora lamenta ainda o fato de que, infelizmente, esse tipo de situação tem se tornado rotineira em eventos, pagos ou não, que acumulam um grande número de pessoas no Brasil".

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

o que não dá pra contar com números nem expressar com palavras... ♥️ #TodosOsCantosEmBH #graveto

Uma publicação compartilhada por marilia mendonça (@mariliamendoncacantora) em

Rigor

Por causa dos transtornos com o show de Marília Mendonça em BH, o subsecretário municipal de fiscalização José Mauro Gomes falou que a prefeitura fará reformulação na legislação de grandes eventos. "Vamos ter muito mais cuidado e, nos grandes eventos, vamos pedir mais tempo (para emitir o alvará)", explicou. Atualmente, o executivo exige dois dias para liberação de evento. Com a alteração, esse prazo será estendido para 10 dias.

O subsecretário também informou que uma equipe de fiscalização da PBH vai vistoriar a Praça da Estação para levantar os danos provocados no espaço e, dependendo da situação, os organizadores poderão ser cobrados para fazer os reparos.

Ele ainda frisou que, eventos da magnitude do show de Marília Mendonça, deveriam acontecer no Mineirão ou na esplanada do estádio. Isso porque a Praça da Estação tem capacidade para receber um público máximo de 15 mil pessoas, mas mais de 50 mil compareceram ao espetáculo da sertaneja.

documento pedindo autorização para o show de marília mendonça
Ofício omitia que o show seria da sertaneja Marília Mendonça

Todos os cantos

O “Todos os Cantos” é um projeto idealizado pela própria cantora, que pretende gravar uma música inédita em cada capital brasileira. Marília sempre aparece na cidade de surpresa, panfletando nas principais ruas e faz a própria divulgação nas redes sociais. Em BH, ela apresentou e gravou a música "Graveto".

Ouça o áudio:

Leia mais:
Marília Mendonça lamenta violência em BH: 'situação tem se tornado rotineira em eventos'
PM culpa organização de Marília Mendonça por arrastões e agressões: 'com segurança não se brinca'