A Prefeitura de Viçosa, na Zona da Mata, notificou a Superintendência de Saúde nessa sexta-feira (10) comunicando a suspeita de um caso da síndrome nefroneural em uma moradora da cidade. A reportagem do Hoje em Dia procurou a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), mas a assessoria de comunicação informou que ainda não foi sinalizada pelo município.

De acordo com o comunicado de Viçosa, uma mulher, cuja idade não foi informada, foi internada no último dia 9 no Hospital São João Batista, no município, com sintomas semelhantes aos de outros dez pacientes internados no Estado. Todos são vítimas de uma doença ainda desconhecida, que leva a problemas renais e neurológicos. Segundo a prefeitura da cidade na Zona da Mata, a paciente afirmou ter consumido a cerveja Belorizontina.

O município também informou que fiscais da cidade percorreram os estabelecimentos que poderiam estar comercializando a cerveja dos lotes suspeitos ( L1 1348 e L2 1348), mas que nenhum rótulo foi encontrado nos comércio vistoriados. 

Na noite dessa sexta-feira, o Governo de Minas informou que subiu para dez o número de casos suspeitos da síndrome misteriosa. A presença da substância tóxica dietilenoglicol foi confirmada em exames de sangue realizados por três dos pacientes. Até agora, os sintomas apareciam somente em homens. Dentre os problemas ocasionados estão náusea, vômito e dor abdominal, que evoluem rapidamente para insuficiência renal e alterações neurológicas.

Confira a nota de esclarecimento divulgada pela Prefeitura de Viçosa:

"A Prefeitura de Viçosa informa que, após receber, na tarde dessa sexta-feira (10), da direção do Hospital Municipal São João Batista, registro de internação de paciente com quadro clinico de doença renal e que a mesma afirma ter consumido cerveja Belorizontina (Backer), imediatamente encaminhou cópia do prontuário e exames para a Regional de Saúde.

Segundo a direção do hospital, a paciente deu entrada na quinta-feira. O secretario municipal de Saúde, Marcus Schitini, aguarda orientações das instâncias superiores para atuar frente ao caso e acompanha o quadro clinico da paciente. Assim que tiver um resultado consolidado atenderá a toda imprensa.

Como medida cautelar, nesta sexta-feira (10), os fiscais sanitários percorreram estabelecimentos que poderiam estar comercializando a Cerveja Belorizontina, e durante a noite irão fiscalizar os bares para realizar uma ação educativa.

Durante a fiscalização, os profissionais verificam o lote e orientam os comerciantes a suspenderem a vendas ate o final das investigações.
Até o momento, não foram encontrados cervejas dos lotes L1 1348 e L2 1348 que estão sob investigação da Policia Civil de Minas Gerais. O cidadão que encontrar lotes desses produtos nos comércios pode informar ao setor de Vigilância Sanitária pelo telefone (32) 3891-1052".

Leia mais:

Fábrica da Backer passa por vistoria em processos de produção neste sábado

Síndrome avança em Minas e cervejaria é interditada

Dentista que esteve no Buritis em novembro está com sintomas da síndrome nefroneural há um mês

Cerveja com suspeita de contaminação foi vendida para outras regiões de Minas, SP, ES e DF

Dietilenoglicol pode ter provocado centenas de mortes no mundo