O promotor de Justiça de Belo Horizonte suspeito de matar a mulher, de 41 anos, será ouvido pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) na tarde desta terça-feira (27). Preso desde o dia 4 de abril, ele está sob custódia em uma unidade do Corpo de Bombeiros da capital mineira.

Segundo a defesa do promotor, o depoimento será ouvido a partir das 13h30 na sede da Procuradoria-Geral do MPMG, no bairro de Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital mineira.

Outras testemunhas envolvidas no caso já foram ouvidas, como o pai e a irmã da vítima, e o médico que emitiu um relatório sobre o óbito da mulher e que teria declarado a causa primária da morte como pneumonite, uma inflação nos pulmões que pode ser causada por diversos fatores ou mesmo que ela poderia ter morrido por intoxicação

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML), sobre as causas da morte, porém, apontou lesões provocadas por esganadura ou estrangulamento

Entenda

A vítima foi encontrada morta em 3 de abril, no apartamento do casal, no bairro Buritis, na região Oeste de BH. Conforme o boletim de ocorrência, o marido dela informou aos militares que, pela manhã, percebeu que a mulher não estava bem e acionou a ambulância de um hospital particular. A equipe médica tentou reanimar a vítima, sem sucesso.

O promotor alega que ela passou mal e engasgou enquanto dormia. Ele foi preso temporariamente no último dia 4 deste mês.

Leia mais:
Novo laudo do IML sobre morte de mulher de promotor aponta lesões provocadas por enforcamento
Promotoria recomenda à PBH que disponibilize protocolo para retorno das aulas na capital
Filhos de promotor preso saem em defesa do pai e dizem que mãe sofria de depressão profunda