Mais de 480 mil pessoas em Minas ainda não receberam a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 criada pela farmacêutica Janssen – pertence à americana Johnson&Johnson. O imunizante foi originalmente fabricado para ser de dose única, porém, o Ministério da Saúde recomendou a aplicação da segunda dose.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas (SES-MG), o Estado está seguindo as orientações do Governo Federal. No entanto, mesmo após a recomendação, as doses do imunizante ainda não foram entregues.

Atualmente, apenas três mil pessoas que tomaram a vacina ainda não estão aptas a receber a segunda dose. Já outras 486 mil estão sem o esquema vacinal completo devido à falta do insumo. "Segundo dados do sistema OpendataSUS (do Ministério da Saúde), atualizados até o dia 2 de dezembro, 99,3% das doses únicas foram aplicadas há dois ou seis meses", afirma a SES-MG por meio de nota.

Conforme a nota técnica expedida pelo Ministério da Saúde, as pessoas imunizadas com dose única da Janssen devem tomar a aplicação de reforço da mesma fabricante: "A dose de reforço (segunda dose) às pessoas que tomaram o imunizante da Janssen deve ser feito de forma homóloga, ou seja, uma segunda aplicação com a mesma vacina no intervalo mínimo de dois meses, podendo este intervalo ser de até seis meses, cuja estratégia pontual dependerá do cenário epidemiológico local e adjacências e condições específicas da população que receberá o imunizante da Janssen previamente".

Nova remessa de vacina

Na próxima quinta-feira (9), Minas Gerais receberá cerca de 66.100 doses da vacina contra Covid-19 da Janssen. A previsão é de que os imunizantes cheguem a partir das 8h30 no Aeroporto Internacional de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Após o desembarque, as vacinas serão transportadas para a Central Estadual da Rede de Frio, no Gameleira, região Oeste da capital, onde é feita a logística de distribuição. O repasse às Unidades Regionais de Saúde e posterior entrega aos municípios terá início ainda na quinta.

 

(*) com Raquel Gontijo

 

Leia também
Apesar de 80% de vacinados em Minas, uso facultativo de máscaras e Carnaval não estão no radar
Mulher morre após cirurgia plástica em clínica particular em BH; espaço não possui estrutura de CTI