O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG) enviou uma “solicitação urgente” aos órgãos de saúde municipais e estaduais pedindo a inclusão de profissionais da saúde suplementar no plano estadual de vacinação. O documento, enviado na segunda-feira (2), cita aqueles que auxiliam no combate à Covid-19.

O Estado segue o Plano de Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, que elencou como prioridade no recebimento das doses os profissionais de saúde da linha de frente, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência em residências inclusivas e indígenas que vivem em aldeias. No entanto, não há especificação se os funcionários da rede privada têm direito a estar nesse primeiro grupo prioritáro.

O documento do Sinmed foi encaminhado ao governo de Minas Gerais, à Secretaria de Estado de Saúde (SES) e aos prefeitos mineiros, incluindo Belo Horizonte. A justificativa é de que o sindicato têm recebido diversas denúncias de que esses profissionais que estão atendendo pacientes suspeitos e/ou confirmados como o novo coronavírus, mas ainda não foram imunizados.

Segundo o Sinmed, muitos dos médicos que atuam na saúde complementar estão na faixa etária acima de 60 anos e se enquadram no grupo de risco da doença. Por isso, a instituição pleiteia a vacinação desses profissionais o mais rápido possível.

“Dos mais de 60 mil médicos que atuam em nosso estado, uma grande parcela deles dedica-se ao atendimento na saúde suplementar, seja nos CTIs de hospitais, atenção primária ou até mesmo em consultórios”, diz a nota.

O sindicato afirma, ainda, que aproximadamente 30% da população é usuária de planos de saúde no Estado e em Belo Horizonte o índice chega a 48%, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Por isso, a necessidade de imunização imediata.

“Acreditamos que a vacinação de todos os profissionais de saúde, inclusive os da saúde suplementar, torna-se medida essencial para redução dos casos de COVID-19, o que também contribui para que não haja redução no número de médicos afastados pela doença”, afirmou o Sinmed.

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), através da Secretaria Municipal de Saúde, informou que todos os profissionais de saúde da capital que atuam na linha de frente estão sendo imunizados de acordo com o plano de vacinação nacional e o recebimento das doses.

Em nota, a SES informou que os profissionais de saúde da rede suplementar, que estão na linha de frente do enfrentamento da Covid-19, tanto da rede pública quanto da rede privada, têm sido atendidos. A reportagem do Hoje em Dia também procurou o governo de Minas, mas não teve resposta até a publicação da matéria. 

Leia mais:

Minas vacinou 176 mil pessoas contra a Covid-19; infectados passam de 740 mil
Minas já registra 52 casos de síndrome infantil ligada à Covid-19 em 28 cidades