Os três indicadores que monitoram a pandemia da Covid-19 em Belo Horizonte registraram mais uma queda nesta quinta-feira (6), dia em que o prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou uma nova flexibilização com a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes, reabertura de clubes e feiras e a volta do funcionamento de padarias e mercados aos domingos.

Segundo o boletim epidemiológico, divulgado nesta tarde, a taxa de ocupação de leitos de UTI caiu de 76,1% para 74,2%. Já o índice nas enfermarias saiu de 53,5% para 52,8%. A taxa média de transmissão do coronavírus chegou a 0,93% – o que significa que cada cem infectados transmitem o novo coronavírus para outras 93 pessoas. 

Boletim

Conforme o levantamento, 183.823 moradores da capital testaram positivo para a Covid desde o início da pandemia. Ao todo, 4.473 pacientes evoluíram para óbito.

Por outro lado, 171.620 pessoas já se recuperaram da doença, enquanto 7.730 seguem em acompanhamento médico, internadas ou em isolamento.

Vacinação

Até o momento, 596.449 belo-horizontinos receberam a primeira dose da vacina Astrazeneca ou CoronaVac, entre trabalhadores da saúde, agentes das forças de segurança, idosos com mais de 60 anos e profissionais e moradores de residências inclusivas. Desse grupo, 261.626 mil tomaram já receberam as duas aplicações.

Os imunizantes da Pfizer, recentemente entregues à PBH, ainda não foram distribuídos ao público prioritário, que inclui profissionais da saúde e pessoas com comorbidades.

Leia Mais:
Falta de CoronaVac para aplicar segunda dose atinge quase todos as cidades mineiras
CPI dos 'Fura-Filas': ex-secretário afirma que vacinação seguiu orientações do Ministério da Saúde
Kalil chama Ministério da Saúde de 'irresponsável' por falta de 2ª dose da vacina em BH