Com quase cinco meses de pandemia, há mais perguntas do que respostas, e mesmo as disponíveis não são conclusivas. Diante da novidade da doença, as atualizações são constantes. Confira o que  já se sabe e o que ainda é preciso saber para enfrentar a Covid-19.

 

Como fazer o isolamento de uma pessoa com Covid em casa?

O primeiro passo é destinar um quarto e um banheiro para uso exclusivo da pessoa infectada. O cômodo com o paciente isolado deve ficar todo o tempo com a porta fechada, mas a janela deve ser mantida aberta para ter ventilação e entrada de luz solar. Quando o imóvel não tem mais de um quarto e mais de um banheiro, a recomendação é deixar o quarto para o doente, e quem não apresenta sintomas deve dormir na sala. Se toda a família divide um cômodo, a orientação é manter distância de 2 metros do doente.  Clique aqui para saber mais detalhes do dia a dia.

Como ajudar as crianças a lidar com o estresse e a ansiedade no isolamento?

O primeiro passo é ouvir. O segundo, incluir. Embora muitas vezes não consigam nomear seus sentimentos, as crianças os expressam ficando mais ansiosas, opositoras e hiperativas. Não é hora de minimizar medos e sentimentos, mas validá-los e conversar com a criança. E se pais e filhos nunca estiveram tão juntos, essa convivência próxima pode ser o ponto de partida para uma acolhida lúdica, com a inclusão dos pequenos no dia a dia dos pais. Assista ao vídeo para entender o que está acontecendo e como ajudar:

Quem já se recuperou de Covid deve manter a prevenção contra o coronavírus?
Sim. Segundo especialistas, não há evidências científicas de que quem contraiu a Covid-19 não vá se contaminar de novo. Além disso, por ser uma doença nova, os efeitos do vírus a médio e longo prazo não são totalmente conhecidos. Há suspeitas de reinfecções em Minas e no mundo.

Fumantes têm maior risco de contrair coronavírus e desenvolver a forma grave da doença?
Sim para as duas questões. Segundo o Ministério da Saúde, as pessoas que fumam, independentemente da idade, fazem parte do grupo de risco, devido ao possível comprometimento da capacidade pulmonar. Há também maior chance de contágio porque o ato de fumar proporciona constante contato dos dedos com os lábios, aumentando a possibilidade da transmissão do vírus para a boca. Quer aproveitar a pandemia para parar de fumar? Leia aqui sobre os primeiros passos.

Ivermectina combate o coronavírus? Quais os riscos de tomar esse remédio?

Não há comprovação científica de que esse medicamento, um vermífugo,  tenha resultado no tratamento da Covid-19. Recomendada para tratamento de infecções causadas por vermes e parasitas que se instalam no organismo, a ivermectina demonstrou atividade in vitro contra o coronavírus, mas não há comprovação de eficácia in vivo, isto é, em seres humanos. Só estudos clínicos permitirão definir seu benefício e segurança contra a Covid-19, mas alguns médicos têm prescrito como parte do tratamento. A caixa com quatro comprimidos é vendida entre R$ 17 e R$ 34, mediante apresentação de receita médica. Especialistas temem que a automedicação acabe intoxicando muitas pessoas. Leia mais sobre a ivermectina.

Quem pode ser voluntário para testar a vacina contra Covid-19 em Minas?
Apenas enfermeiros e médicos podem se inscrever, sendo que 800 serão selecionados. Os candidatos devem ter mais de 18 anos, não podem ter sido contaminados pelo coronavírus nem apresentar doenças crônicas ou fazer uso de medicamentos contínuos. A previsão é de que as vacinas comecem a ser aplicadas no próximo dia 20/07. Caso preencha todos os critérios, o voluntário deverá entrar em contato com Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos do ICB UFMG, pelo e-mail profiscovbh@gmail.com. Saiba mais sobre a CoronaVac, produzida na China. 

Usar a máscara durante atividade física faz mal à saúde?
Não.  Não há nenhum estudo científico que ateste que o uso da máscara durante o treinamento aeróbico vá causar algum dano à saúde das pessoas. Pode haver incômodo, por causa da resistência na hora de inspirar e expirar, o que pode ser minimizado reduzindo o ritmo. Clique aqui pra saber mais.

Quais remédios estão sendo testados contra Covid-19?
Além da controversa cloroquina, estão em uso ou testes corticóides, antivirais, antiparasitários, anticoagulantes, plasma de recuperados e vitaminas. Confira aqui em que pé está o trabalho com cada um.

Qual a diferença entre o teste do cotonete e o teste rápido? 

O teste do cotonete (swab nasal), conhecido como RT-PCR, verifica se há material genético do vírus nas vias aéreas do indivíduo. Para fazer o exame, são coletadas amostras de secreções do nariz ou da garganta do paciente. O laudo sai em alguns dias. Já o exame sorológico ( que verifica a presença dos anticorpos IgM e IgG) não é capaz de atestar se um indivíduo está com Covid-19 no momento ou não. Ele detecta o anticorpo em um período final da infecção ou após a recuperação. Ele revela algo que aconteceu no passado. É feito através da coleta de sangue e o resultado sai em até 30 minutos. Assista ao vídeo com a explicação detalhada:

 

Como higienizar os produtos de supermercado?

Alimentos como verduras e frutas devem ser imersos em solução de água sanitária diluída, por 15 minutos. Já as embalagens podem ser lavadas com água e sabão ou higienizadas com álcool gel. Confira aqui todos os detalhes.

Quando a vacina deve começar a ser aplicada no Brasil?

Há mais de uma vacina em fase de teses em humanos por aqui.  A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) , parceira nas pesquisas da Universidade de Oxford , prevê que a imunização comece em fevereiro de 2021 caso os testes sejam bem sucedidos.  .As primeiras doses devem ser destinadas aos grupos de risco, como profissionais de saúde e pessoas idosas.  Ainda não se sabe se será necessária apenas uma dose da vacina, se serão necessárias duas doses, ou se será preciso revacinar. 

Se for inevitável usar o transporte público, como me proteger ao máximo?
Além do uso da máscara, distanciamento e álcool gel, é fundamental se policiar ainda mais para não tocar os olhos, boca e nariz antes de lavar as mãos. Quando chegar em casa, não toque em nada nem ninguém antes de higienizá-las. Veja aqui um vídeo sobre como lavar as mãos de forma de correta.   

Quais são as doenças pré-existentes que mais influenciam nas mortes por Covid?
Os principais fatores de risco são, segundo o Boletim Epidemiológico da Prefeitura de Belo Horizonte, pela ordem de importância: cardiopatia, diabetes, pneumopatia, obesidade, nefropatia, problemas neurológicos, imunodeficiência e hepatopatia. Dentre as pessoas que perderam a vida para a Covid em BH, essas foram as principais comorbidades encontradas. ​

Como me livrar dos quilos extras adquiridos no isolamento?

A combinação de falta de exercícios, excesso de delivery e ansiedade tem levado ao ganho de peso em muitas famílias. Com quase quatro meses de quarentena e sem data para  o "novo normal" começar de fato, é preciso reorganizar a dieta para fazer as pazes com a balança. Como? Planejamento das compras ao cardápio, com receitas simples e saborosas para quem vive neste momento uma rotina de baixo gasto calórico.

O que é imunidade de rebanho?

A expressão tem sido utilizada para explicar a imunidade conferida à população após uma porcentagem X ter contraído Covid e estar imunizada. Pesquisadores estimam taxa necessária em torno de 60%. Ou seja, quando essa quantidade de pessoas já tiver contraído a doença e adquirido imunidade, o virus não circula mais e a doença desaparece. 

Após a cura, o coronavírus pode deixar sequelas? 

Países em estágios mais avançados da pandemia, como o Reino Unido, estudam diversas sequelas físicas, cognitivas e psicológicas. Publicações recentes nas revistas científicas New England Journal of Medicine e Brain documentam sintomas neurológicos em pacientes que tiveram a doença, que variam de dor de cabeça, perda de olfato e formigamento, até encefalites, hemorragia, trombose, AVC isquêmico  e Síndrome de Guillain-Barré, condições neurológicas nem sempre correlacionadas à severidade de sintomas respiratórios.

O que considerar na hora de planejar, em meio à pandemia, a próxima viagem de férias ou feriadão? 

A recomendação, neste início de agosto, ainda é para se evitar deslocamentos. Mas já há algumas indicações do que deve ser considerado ao fazer planos para o futuro. A primeira orientação é fugir de destinos com aglomerações. Hospedagens onde o próprio viajante pode controlar a higiene do quarto ou casa ganham pontos. Caso a opção seja por um hotel, é importante checar se ele tem selo de higienização. Segundo a sondagem “Como voltaremos a viajar? – impacto da Covid-19 no comportamento do viajante brasileiro”,  realizada pelo portal  Viaje na Viagem, muita gente tem se baseado nos números de casos e mortes da região na hora de escolher o destino. As praias lideram a preferência pela primeira viagem pós-quarentena, com  33% das respostas, seguidas das cidades grandes (18%), destinos de natureza (17%) e cidades pequenas (12%).

Como manter a prática de atividades físicas dentro de casa?

Apartamento apertado não serve de desculpa! Empurre os móveis da sala e aproveite o espaço para se movimentar.  Não faltam opções de vídeos nas redes sociais com orientações para quem quer se exercitar. Para os iniciantes em qualquer atividade física, é recomendável começar pelas mais leves, como os exercícios de alongamento e relaxamento. Da mesma forma, podem ser feitos exercícios de fortalecimento que envolvem grandes grupos musculares, como se sentar e se levantar de uma cadeira ou agachar para levantar objetos com pouco peso (1 a 2 kg). É importante sempre respeitar os limites do próprio corpo. Por que não começar agora?

Como fortalecer o sistema imunológico contra a Covid e outras doenças?

O tripé exercício físico, sono de qualidade e alimentação saudável é o principal escudo contra doenças. Já os alimentos que são naturalmente inflamatórios, como os que contêm gorduras, temperos prontos ou industrializados, devem ser evitados porque podem prejudicar o funcionamento do intestino e do sistema imunológico. Confira dicas para uma alimentação saudável para crianças e adultos, além da função de cada grupo alimentar. 

O  que esperar do tão alardeado 'novo normal'?

O propagado novo normal promete uma aceleração de processos que já estavam em andamento, mas se consolidam no decorrer da pandemia. É o caso do home office, ensino a distância, compras on-line, reuniões por videoconferência e canjas de artistas ao vivo em redes sociais. No campo da higiene, também há expectativa de que novos hábitos sejam incorporados, como a lavagem mais frequente das mãos e, possivelmente, o uso de máscaras em algumas ocasiões..Já a permanência de uma consciência coletiva mais solidária ainda é alvo de debates entre otimistas e céticos.

Como saber se estou com gripe, resfriado ou coronavírus?

As doenças têm sintomas parecidos, a prevalência é que varia e pode ajudar na identificação. No caso do coronavírus, os mais comuns são febre e tosse seca. Já corisa, nariz entupido e espirros são raros na Covid e mais frequentes nos resfriados. 

Veja o quadro comparativo:

coronavírus

Clique aqui para ampliar

 

Por que até os defensores do isolamento se arriscam em sair de casa e as ruas estão cada vez mais cheias?

Há quem saia de casa por necessidade financeira, os que estão incrédulos diante da guerra de informações e as vítimas chamada "fadiga da quarentena". Segundo a psicologia, o ser humano absorve situações indesejadas, com forte estresse, por um período e, depois, a mente começa a relaxar, normalizando os riscos.  

 

Mães com Covid podem continuar amamentando?

Estudos feitos com amostras de leite de mães que tiveram Covid-19 indicaram que o vírus não é transmitido pela amamentação. Então, as mães com coronavírus podem continuar amamentando, mas é fundamental que utilizem a máscara quando forem amamentar ou realizar algum cuidado com o bebê. 

O que é a síndrome inflamatória associada à Covid que está acometendo crianças?
Há vários casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) associada à Covid em monitoramento no Brasil e no mundo. O tempo entre a exposição ao vírus e manifestações clínicas da síndrome tem variado entre 6 e 60 dias. Os pacientes têm entre 7 meses e 16 anos. Entre os sintomas mais frequentes estão febre persistente acompanhada de um conjunto de sintomas como pressão baixa, conjuntivite, manchas no corpo, diarreia, dor abdominal, náuseas, vômitos, comprometimento respiratório e problemas cardíacos, dentre outros. A síndrome pode levar à morte.

​Fontes: Organização Mundial de Saúde, UFMG, Instituto Butantan, Fundação Oswaldo Cruz, Instituito Nacional de Câncer, Agência Brasil, Unaí Tupinambás e  Estêvão Urbano (infectologistas), Sylvia Flores (psicóloga) e Ana Carolina Barbosa Duarte (nutricionista).