A força-tarefa que atua na tentativa de estabilizar uma barragem de água em Paraisópolis, no Sul de Minas, deve durar pelo menos dois meses. A represa que abastece parte da cidade está em nível 3 de emergência e apresenta avarias na estrutura. Prefeitura, Defesa Civil Estadual e Corpo de Bombeiros realizam trabalhos de escoamento. 

Em 1º de outubro, a barragem apresentou risco de rompimento e foi necessária a remoção preventiva de 60 moradores do entorno. Outras pessoas, no entanto, ainda poderão deixar as casas. Um treinamento de evacuação noturno no bairro Ribeirão Vermelho está previsto para esta quarta-feira (13). Placas de sinalização foram instaladas para orientar a população

De acordo com o tenente Flávio Fagundes, da Defesa Civil de Minas, a expectativa é reduzir 5 metros do nível atual da barragem. Até o momento, apenas 1 metro foi reduzido. Ainda segundo o tenente, já foram feitos trabalhos de estabilização de talude e reforço da base da represa. 

Na última segunda-feira (11), o prefeito de Paraisópolis, Éverton de Assis, veio a Belo Horizonte para discutir ações junto à Secretária de Estado de Meio Ambiente de Minas Gerais (Semad). A pasta cobrou ações urgentes para agilizar o processo de esvaziamento da represa.

Barragem
A barragem do Brejo Grande foi construída na década de 1970 para captar água. São 16 metros de altura e o volume chega a 760 mil metros cúbicos.

Leia também:
Risco de rompimento de barragem de água faz moradores de Paraisópolis serem retirados de casa
Cabo da PM faz parto do próprio filho à beira de estrada na Zona da Mata