Três homens foram presos pela Polícia Civil (PC) durante a operação Hemera, suspeitos de envolvimento no assassinato de um funcionário de 63 anos da Prefeitura de Belo Horizonte. A ação foi realizada na última quinta-feira (25), com a participação de 60 policiais, e ainda procura outros cinco suspeitos.

A vítima foi morta com pedradas e pauladas no dia 17 de setembro na Vila Andiroba, região Nordeste de BH, sob a falsa acusação de pedofilia. O corpo dele foi encontrado no dia seguinte às margens do Anel Rodoviário, próximo ao bairro São Paulo, na mesma região da capital.

Além dos três homens presos, de 24, 26 e 37 anos, foi apreendido ainda um revólver calibre 38, que será examinado pela PC para comprovar a possível participação em outros crimes. As investigações apontam que a mulher de um gerente do tráfico na região teria pedido a morte do idoso após vê-lo urinando em via pública e acreditar que ele teria agido de forma insinuante para crianças do bairro.

Ainda conforme a PC, o chefe do tráfico ordenou o homicídio do idoso. "A vítima teria sido morta por traficantes da Vila Andiroba que, para não atrair a atenção da polícia para a área onde exercem o comércio de drogas, removeram o corpo para um local mais distante", afirma a corporação.

Após descobrirem que a mulher havia mentido sobre a conduta da vítima, os traficantes locais a expulsaram do bairro. Ela também foi indiciada pelo crime e permanece foragida.

Os suspeitos são investigados por outros assassinatos e possuem ficha criminal extensa, segundo a PC. Eles devem responder por homicídio qualificado.

 

Leia mais:
Chuva deve atingir BH durante toda a semana; veja previsão do tempo
Motoristas de ônibus de Contagem realizam paralisação nesta segunda