Foi preso nesta segunda-feira (13) um dos 21 foragidos mais procurados pelo sistema judiciário de Minas Gerais. A ação, realizada em Santa Luzia, na Grande BH, se deu a partir de uma denúncia anônima pelo número 181. Segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Bruno Vieira Januário da Silva, de 31 anos, tem um mandado de prisão em aberto por homicídio e também é suspeito por liderar o tráfico de drogas. 

De acordo com a pasta, a ligação para o Disque Denúncia informou que ele estaria escondido em residência de familiares, no bairro Palmital. Quando os militares chegaram ao local indicado, os moradores da casa pareciam muito assustados e tentaram impedir a entrada dos agentes. A PM realizou um cerco policial na via e o procurado foi detido enquanto tentava fugir do imóvel.

Programa Procura-se

A prisão é resultado das operações promovidas por meio da quarta edição do Programa Procura-se, lançado em abril, que já prendeu outros três alvos, todos relacionados ao tráfico de drogas. O objetivo do projeto é buscar foragidos da justiça, com mandados de prisão em aberto, a partir das ações policiais e denúncias pelo 181. Nessa edição, foram escolhidos os procurados pela prática reiterada de crimes graves, como homicídio, roubo e tráfico de drogas. Parte dos indivíduos listados também possui relação com explosões de caixas eletrônicos e assaltos com arma de fogo a bancos.

Disque Denúncia

A ligação ao Disque Denúncia é gratuita e anônima, e pode ser feita por meio do número 181. O sistema existe há 13 anos, e já contribuiu para mais de 243 mil prisões, apreensão de 74,4 toneladas de drogas e retirada de circulação quase 27 mil armas de fogo. 

A divulgação dos procurados é feita em cartazes espalhados em todos os 853 municípios mineiros, em locais de grande circulação de pessoas e nos ônibus municipais de BH. Também é possível ver no site do Procura-se

Leia mais: 

Funed amplia diagnóstico de Infecções Sexualmente Transmissíveis
Após desafio na internet, médicos alertam sobre uso indevido de remédio para ‘afinar o nariz’
Inflação é medo maior do que Covid em bares de BH