Piramide Financeira

Dois brasileiros são acusados pela justiça dos EUA de fraude milionária com esquema de criptomoedas

Vanda Sampaio
vsampaio@hojeemdia.com.br
02/07/2022 às 10:55.
Atualizado em 02/07/2022 às 11:24
 (Unsplash/Divulgação)

(Unsplash/Divulgação)

Dois brasileiros e um americano foram acusados de fraude nos Estados Unidos ao se apropriarem de milhões de dólares de investidores em um esquema de pirâmide financeira envolvendo criptomoedas. O prejuízo calculado pela justiça americana chega a U$ 100 milhões, o equivalente a mais de R$ 500 milhões.   

O caso foi denunciado na sexta-feira (1)  pelo Departamento de Justiça dos EUA e reguladores do mercado de capitais, como a Securities and Exchange Commission (SEC) e a Commodity Futures Trading Commission (CFTC).

Segundo as investigações, os dois brasileiros de 33 anos teriam fundado a empresa EmpiresX para fazer as operações fraudulentas. Mas, após a denúncia do esquema voltaram para o Brasil no início de 2022. Já o americano atuava como diretor de negociação da empresa. 

Entenda o esquema 

(Unsplash/Divulgação)

(Unsplash/Divulgação)

Segundo a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (Securities and Exchange Commission), o esquema começou em meados de 2020 com a promessa a investidores de lucros de 1%, a partir de um robô de investimentos em criptomoedas. Cerca de U$ 40 milhões teriam sido arrecadados dos investidores. 

"Os réus supostamente se apropriaram indevidamente de grandes somas de dinheiro dos investidores para alugar um Lamborghini, fazer compras na Tiffany & Co., fazer um pagamento em uma segunda casa e muito mais", relatou a Comissão de Valores Mobiliários.

Entre as acusações feitas pela justiça americana estão  informações falsas a investidores, envio de documentos aos órgãos reguladores, licenças para operar, além de ofertas de títulos não registrados.

A partir de um júri no Distrito Sul da Flórida, os dois brasileiros também foram denunciados por conspiração para cometer lavagem internacional de dinheiro. 

Se condenados por todas as acusações, os brasileiros podem pegar até 45 anos de prisão. Já o americano pode ser condenado a até  até 25 anos, segundo a Justiça dos EUA. 

No mesmo comunicado que acusou os brasileiros, o órgão anunciou ainda o indiciamento no total de seis pessoas, em quatro casos por suposto envolvimento em fraudes relacionadas a criptomoedas. 

 
 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por