24 horas de greve

Médicos que atuam no Hospital Infantil João Paulo II fazem paralisação nesta segunda-feira em BH

Da Redação
portal@hojeemdia.com.br
28/03/2022 às 09:19.
Atualizado em 28/03/2022 às 09:32
 (Lucas Prates)

(Lucas Prates)

Médicos que atuam no Hospital Infantil João Paulo II, em Belo Horizonte, estão de braços cruzados desde às 7h desta segunda-feira (28). A paralisação, segundo o sindicato que representa a categoria, será de 24 horas e apenas será finalizada na manhã de terça-feira (29). Apenas atendimentos de urgência e emergência serão realizados no local durante esse período. 

Conforme informou o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), a decisão pelo ato foi firmada durante assembleia geral, realizada na semana passada, e ocorre após “várias tentativas” de negociação com os gestores e o governo, “a fim de solucionar os principais problemas já apontados, como as péssimas condições de trabalho e a perda de profissionais por baixas remunerações justamente em um período crítico, de aumento de demanda por atendimentos devido ao pico de doenças respiratórias”. 

De acordo com a entidade, diante deste cenário, o atendimento aos pacientes fica prejudicado. Problemas relacionados às escalas também estão entre as reclamações. 

“Temos um déficit muito grande de médicos e a Fhemig não reconhece. Por isso exigimos a reposição imediata das escalas, pois a situação está cada vez mais insustentável”, disse o diretor de mobilização do Sinmed-MG, Cristiano Maciel. 

Os médicos acreditam que a demanda seria atendida caso os aprovados em concurso fossem convocados e, paralelo a isso, houvesse renovação de contratos emergenciais e administrativos. 

Outro pedido está relacionado à estrutura física da unidade, que, segundo a entidade, precisa de manutenção. 

Confira as reivindicações específicas dos médicos:

  • Reposição imediata dos desfalques nas escalas médicas, hoje com déficit de 25 médicos, através de convocação do concurso público, ainda vigente após ação do Sinmed-MG e contratação emergencial de pediatras para enfrentamento do aumento sazonal de doenças respiratórias
  • Renovação dos contratos emergenciais realizados para enfrentamento da pandemia
  • Isonomia de salário, vencimentos, adicionais e carreiras com o Hospital João XXIII, uma vez que o HIJPII está totalmente integrado ao Complexo Hospitalar de Urgência e os médicos exercem funções do mesmo nível de complexidade
  • Melhorias das condições de trabalho com correção dos problemas de infraestrutura no hospital, que colocam pacientes e trabalhadores em risco. Neste ponto vale ressaltar que grande parte do prédio, incluindo parte do refeitório está interditado e a construção do prédio anexo, em fase final, continua inacabada, com grande atraso das obras, que deveriam ter sido concluídas desde 2014

O que diz a Fhemig

Em nota, a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) informou que se reuniu com o sindicato e deu garantias de “manutenção dos contratados, de continuidade das obras de infraestrutura retomadas no ano passado, de prosseguimento dos processos seletivos e de abertura de novas vagas para pediatras”. Disse, ainda, que a contratação de 15 novos pediatras foi autorizada no último dia 24, por meio de processo seletivo simplificado.

“Atualmente, tramita na  Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) projeto de lei enviado pelo Executivo que prevê o reajuste salarial de 10,06% para todos os servidores públicos estaduais. O percentual estabelecido é o que a lei permite no momento. O governo de Minas tem se dedicado para conseguir, mesmo com o cenário pouco favorável, trazer melhorias para os servidores, pois reconhece o trabalho valoroso que eles prestam”, informou. 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por