Grande BH

Três homens são presos por agressões e ameaças contra viúva em Santa Luzia

Raquel Gontijo
raquel.maria@hojeemdia.com.br
27/05/2022 às 16:53.
Atualizado em 27/05/2022 às 17:05

Três homens foram presos na manhã desta sexta-feira (27) acusados de agredir e ameaçar a viúva de um homem executado a tiros no último mês em Santa Luzia, região Metropolitana de Belo Horizonte. Os suspeitos têm, respectivamente, 19, 21 e 22 anos.

As prisões foram resultado de uma operação conjunta das polícias Civil (PC) e Militar (PM). No total, seis homens são acusados de ameaçar e agredir a mulher, de 43 anos. O grupo também é alvo de investigações que apuram o assassianto do homem em abril.

De acordo com a PC, as investigações sobre a violência contra a mulher começaram em 5 de maio, quando seis homens foram até a residência da vítima. Dois deles entraram na residência e quatro ficaram do lado de fora para impedir que ela saísse.

Segundo a delegada Adriana das Neves Rosa, titular da Delegacia Especializada de Investigação de Homicídios de Santa Luzia, os suspeitos agrediram e ameaçaram a vítima para que não colaborasse com as investigações do homicídio do marido.

Ao saírem da casa, disseram que iriam retornar mais tarde para realizar outro "julgamento", a fim de decidir se iriam matá-la ou não. "Nesse meio-tempo, a Polícia Civil chegou à residência, conseguiu resgatar a vítima e tirá-la em segurança do local", descreveu a delegada.

Neste mesmo dia, um dos suspeitos, de 44 anos, foi preso em flagrante pelos policiais civis. A partir das investigações, os demais envolvidos foram identificados e a PC conseguiu mandados de prisão preventiva. Outros dois homens, de 30 e 38 anos, continuam procurados pela Polícia.

Homicídio
O assassinato do homem ocorreu em 29 de abril. De acordo com Adriana das Neves Rosa, levantamentos preliminares indicam que a motivação do crime está relacionada com furto de drogas por parte da vítima, de 32 anos.

"Ele já havia trabalhado para esse grupo, que comanda o tráfico na Vila Ferraz (em Santa Luzia), mas não estava mais atuando com eles, justamente porque tinha histórico de fazer uso dos entorpecentes que deveria vender ou tomar conta. Mesmo assim, estaria furtando drogas nos locais onde sabia que estavam escondidas. Por essa razão, ele teria sido executado", concluiu a delegada.

As investigações seguem em andamento. 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por