Após ter a soltura autorizada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais na tarde desta sexta-feira (8), o ex-governador Eduardo Azeredo deixou o prédio do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte, onde estava preso desde maio de 2018.

Azeredo deixou a prisão acompanhado de seus advogados em um veículo fechado e não falou com a imprensa. Assista ao vídeo:

 

Mais cedo, a advogada Carolina Guimarães, que trabalha na defesa do político, declarou que a libertação não interfere nos trâmites do processo que ainda estão na Justiça. “A soltura é uma reparação de algo que nunca deveria ter acontecido”, afirmou.

O pedido de soltura foi encaminhado na manhã desta sexta-feira e acatado pouco depois das 16h. A decisão veio um dia após o Supremo Tribunal Federal votar a inconstitucionalidade  da prisão após condenação em segunda instância, o que também levou à libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba.

Mensalão tucano

Eduardo Azeredo foi preso em maio de 2018 após ser condenado em segunda instância por peculato e lavagem de dinheiro no esquema conhecido como Mensalão Tucano. A pena imposta foi de 20 anos de prisão.

Azeredo foi considerado culpado de desviar dinheiro do BDMG e da Copasa para sua campanha de reeleição em 1998, pleito vencido por Itamar Franco.

Leia mais:
Após decisão do STF, Justiça manda soltar ex-presidente Lula e ex-governador Eduardo Azeredo