Com Vanderlei Luxemburgo, Lucas Ventura passou a ser figurinha presente nas escalações titulares do Cruzeiro. Um cenário totalmente diferente daqueles que o jogador vivenciou em outros momentos na temporada e em anos anteriores, quando era constantemente emprestado. "Levo como aprendizado o fato de não ter jogado (pelo Cruzeiro em outras ocasiões), pois valorizo hoje cada oportunidade que tenho dentro de campo", afirma.

Dos 20 duelos que soma com a camisa estrelada, dez se deram nas competições deste ano, sendo cinco sob o comando de Luxa, todas como titular.

"Fico feliz pela oportunidade que estou tendo. Para eu estar me destacando é porque a equipe no geral está fazendo um bom trabalho dentro de campo. É manter o foco, continuar trabalhando, pegando os conselhos do Vanderlei, do Maurício (Copertino, auxiliar), do Belletti (auxiliar) e do Célio (Lúcio, coordenador de transição) para evoluir em campo. É continuar trabalhando, mantendo a boa forma, com a equipe atuando bem", disse o atleta.

Cruzeiro

Aprendizado

Se hoje Ventura celebra a titularidade, no passado ele passou por vários períodos de desilusão, por não ter recebido tantas chances pelos celestes.

No clube desde agosto de 2013, quando chegou para as categorias de base, Nonoca disputou sua primeira partida pelo time profissional da Raposa em 9 de abril de 2017, na vitória por 2 a 0 sobre o Democrata-GV. Depois chegou a ser emprestado para o Sport em 2018 e o Boa Esporte em 2019 duas vezes.

Reintegrado ao grupo cruzeirense em fevereiro de 2021, não agradou a Felipe Conceição e Mozart e precisou esperar mais um longo período para ganhar a tão sonhada sequência como titular na equipe. Durante o momento em que as oportunidades eram escassas, a família se tornou fundamental para o volante.

"Nós, atletas, gostamos de jogar sempre, de estar desempenhando seu papel dentro de campo. Quando não jogamos, ficamos tristes. Quando as coisas não acontecem, temos que nos esforçar mais nos treinamentos para mostrar que temos qualidade e condições de estar em campo. O momento de hoje é muito mais valorizado por mim, porque sei o que passei, sei como foi difícil para mim e minha família. Sempre estive reclamando com eles (parentes) por não estar atuando. No começo do ano, não vinha tendo oportunidade, às vezes nem sendo relacionado, e hoje estou vivendo este momento muito gratificante”, declarou.

Leia mais:
Cruzeiro divulga lista de relacionados para o jogo contra o Avaí; confira quem retorna
Cruzeiro: saiba quais pratas da casa ganharam chance e quantas vezes jogaram com Luxa na Série B
Apesar de o Cruzeiro ter menos de 1% de chance, Ramon acredita no acesso à Série A