A revolta dos jogadores do Cruzeiro foi sintetizada nas palavras de Marcelo Moreno ao fim do empate em 1 a 1 com o Operário-PR, nesta quinta-feira (16), na Arena do Jacaré, pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

"Uma alegria que dura pouco. Não podemos sofrer isso dentro da nossa casa. Mandar um juiz desses para apitar esse jogo. O Cruzeiro querendo subir, todo mundo se doando, e ele fazendo uma coisa dessas. A gente dá a alma, sai na rua e é cobrado”, afirmou o boliviano ao Premiere.

E não parou por aí. Ele ressaltou que o time teme que aconteça o mesmo que ocorreu a Diego Tardelli, que teve o carro depredado na última terça-feira (14), depois da eliminação do Santos na Copa do Brasil. 

Cruzeiro

“Aconteceu agora com o Tardelli em Santos. A gente é cobrado na rua. Queremos ganhar jogando futebol. (O juiz) deu pênalti contra e anulou um gol. Como fazemos agora? A imprensa tem que ajudar a gente. Não é assim!”, disse.

O empate com o Operário fez o Cruzeiro subir um degrau na classificação. Os celestes ocupam o 12° lugar, com 30 pontos. A 24ª rodada da Série B será complementada nesta sexta-feira (17) e neste sábado (18).

Leia mais:

Ex-Atlético, Tardelli tem carro depredado e é ameaçado de morte após eliminação do Santos
Com gol anulado e muita confusão, Cruzeiro empata com o Operário e está a 11 pontos do G-4
Presidente do Cruzeiro protesta contra arbitragem e CBF: 'querem impedir a gente de subir'