O Atlético utilizou as redes sociais, nesta sexta-feira (15), para rebater declarações do vice-presidente da Procuradoria-Geral do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches, que pediu uma punição ao Galo. "Quando o clube mandante não proporciona segurança para o trabalho da arbitragem, quando invadem ou tentam invadir a sala onde se pratica a arbitragem por vídeo, a consequência só pode ser uma: perda do mando de campo e punição severa dos invasores/agressores. Vamos aguardar o STJD", disse o dirigente rubro-negro.

Em nota, o clube alvinegro manifestou “repúdio” ao comentário de Dunshee de Abranches. “Nela (declaração), de forma dissimulada e ardilosa, ele (Dunshee de Abranches) afirma que dirigentes do Galo tentaram invadir a sala do VAR (no jogo Atlético x Santos, no último dia 13, no Mineirão), e pede punições ao clube e aos dirigentes (a quem chama de agressores), em face dessa suposição. É necessário que haja responsabilidade e bom senso nas manifestações de dirigentes, para que não se instale um clima de beligerância e acusações infundadas”, escreveu o Atlético.

Em outro trecho do texto, o clube mineiro destaca que “não houve, por parte do diretor de futebol do Galo, Rodrigo Caetano, qualquer tentativa de invasão à sala do VAR, tampouco de outro dirigente da nossa equipe. As afirmações são mentirosas e seus autores responderão pelos seus atos, no tempo próprio”.

Nessa quinta-feira (14), Caetano disse que não tentou intimidar a arbitragem o duelo com o Santos, na quarta (13), nem pretendia invadir o vestiário da arbitragem.

Dentro de campo, o Atlético lidera o Campeonato Brasileiro, com 56 pontos, sendo 11 e vantagem sobre o segundo colocado, o Urubu.

Atlético

Confira abaixo a nota divulgada pelo Atlético

“O Clube Atlético Mineiro manifesta repúdio às seguidas declarações de dirigentes e lideranças do Flamengo, como a feita hoje, pelo vice-presidente geral e jurídico Rodrigo Dunshee, em sua conta no Twitter.

Nela, de forma dissimulada e ardilosa, ele afirma que dirigentes do Galo tentaram invadir a sala do VAR (no jogo Atlético x Santos, no último dia 13, no Mineirão), e pede punições ao Clube e aos dirigentes (a quem chama de agressores), em face dessa suposição.

É necessário que haja responsabilidade e bom senso nas manifestações de dirigentes, para que não se instale um clima de beligerância e acusações infundadas.

Não houve, por parte do diretor de Futebol do Galo, Rodrigo Caetano, qualquer tentativa de invasão à sala do VAR, tampouco de outro dirigente da nossa equipe. As afirmações são mentirosas e seus autores responderão pelos seus atos, no tempo próprio.

O Atlético agirá com firmeza contra todos que proferirem declarações mal-intencionadas, e que se prestam unicamente a prejudicar o bom desempenho esportivo do Galo.

O tempo de manobras extracampo e favorecimentos já acabou!

Pelo menos, é o que se espera!”

Leia mais:
Calebe se consolida como opção ofensiva para Cuca e ajuda Atlético a manter série invicta
Com a vitória sobre o Santos, Galo tem mais de 90% de chance de receber o título do Brasileirão
No reencontro com o Atlético, Diego Tardelli é ovacionado pela torcida do Galo no Mineirão