'Se sua opinião oprime, mata e limita o outro de existir, é crime', diz Carol Gattaz

Thiago Prata
@ThiagoPrata7
27/10/2021 às 15:00.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:08
 (Orlando Bento/MTC)

(Orlando Bento/MTC)

Um dia depois de ir às redes sociais se manifestar contra a homofobia, a capitã do time feminino do Minas Tênis Clube, Carol Gattaz, divulgou um vídeo em seu perfil no Instagram, novamente dando seu recado contra o preconceito: "homofobia é crime! Racismo é crime! Xenofobia é crime!” (confira o vídeo mais abaixo).

“A gente, como sociedade, não pode mais naturalizar comportamentos como esse. Não dá mais. Acho que é muito importante a gente se posicionar de uma forma combativa", disse ela, referindo-se aos episódios recentes envolvendo Maurício Souza, jogador da equipe masculina de vôlei do clube mineiro.

Maurício foi multado e afastado pelo Minas de treinos e jogos, depois de postagens de cunho homofóbico nas redes sociais.

Nesta quarta (27), Gattaz ressaltou que trata-se de uma luta que envolve toda a sociedade.

"Seria muito simples para mim, uma mulher cis, bissexual, com meu dinheiro, de classe média, pessoa bem sucedida, chegar a aqui, me esconder e não nada fazer. Muitas vezes, isso (preconceito) não me atinge pessoalmente, mas atinge muitas outras pessoas. Enquanto as pessoas mascaram esse preconceito como forma de opinião, as pessoas são mortas nas ruas. Liberdade de expressão, sim, mas se sua opinião oprime, mata e limita o outro de existir, você não é livre nessa questão. É crime, está na lei", afirmou.

Confira o vídeo completo abaixo:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por