Xerife no Mineirão: duelo entre Brasil e Paraguai marcará reencontro de Alonso com atleticanos

Thiago Prata
@ThiagoPrata7
14/01/2022 às 18:46.
Atualizado em 18/01/2022 às 00:54
 (Pedro Souza / Atlético)

(Pedro Souza / Atlético)

Nem Hulk, tampouco Guilherme Arana. O técnico Tite optou por não convocar jogadores do atual campeão brasileiro e da Copa do Brasil para o duelo entre a Seleção Canarinho e o Paraguai, em 1º de fevereiro, no Mineirão, pela 16ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo. Mesmo assim, a partida terá um atrativo para aqueles atleticanos que quiserem ver de perto novamente um dos maiores zagueiros de sua história.

Um dos capitães na conquista do triplete alvinegro, Junior Alonso é um dos convocados da Albirroja, penúltima colocada das Eliminatórias Sul-Americanas. Transferido para o Krasnodar, da Rússia, no início deste ano, o defensor fez sua última partida pelo time mineiro em 15 de dezembro, no triunfo por 2 a 1 em cima do Athletico-PR, na Arena da Baixada, resultado que garantiu o título da Copa do Brasil ao Atlético. Três dias antes, fez seu então último duelo no Mineirão, nos 4 a 0 sobre o Furacão, também pela final do torneio mata-mata.

Pouco mais de um mês e meio depois daquela decisão, Alonso estará de volta ao Gigante da Pampulha, em um jogo que ganha conotação de “despedida” da torcida do Galo, apesar de estar vestindo a camisa do Paraguai. Tal fato se justificará pelos gritos da Massa no dia da partida, assim que o zagueiro tiver seu nome divulgado no telão do estádio e no momento em que pisar no gramado de seu “salão de festas” em 2021.Pedro Souza / Atlético

Xerife alvinegro

Carregando o lema “cabeça fria, coração quente”, como ele próprio enfatizava, Alonso disputou 89 confrontos, marcou dois gols e deu três assistências pelo Atlético e recebeu o prêmio de Bola de Prata de melhor da posição na Série A de 2020 e 2021.

Além dos números, a raça e o espírito de liderança foram fundamentais para o Galo ter se destacado como a melhor defesa do último Brasileirão, com 34 gols sofridos.

Com o Paraguai tendo chances remotas de classificação para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, Alonso pode ter como “alento” diante do Brasil uma calorosa recepção de torcedores que o viram entrar para a história do clube.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por