Belo Horizonte nem se recuperou do temporal de terça-feira (14) e já há novos motivos para apreensão. A precipitação, que deixou uma família soterrada, derrubou árvores e alagou vias e o Aeroporto da Pampulha, deve voltar forte nesta quarta-feira (15), data em que diversos bairros da cidade registram corte no fornecimento de energia elétrica devido às chuvas. Para piorar, a cidade está sob risco de desabamentos até esta quinta-feira (16).

A água deve voltar em forma de temporais, a partir desta tarde, com trovoadas em áreas isoladas da capital. De acordo com a Defesa Civil municipal, o céu alternará entre parcialmente nublado a nublado, com calor na casa dos 31°C. Na madrugada, a mínima registrada ficou em 18°C. A umidade do ar fica em torno de 45%.

Nesta manhã, moradores dos bairros São Gabriel, 1° de Maio, Dona Clara, Jaraguá e Santa Rosa, todos na região Nordeste, seguem sem luz. A Cemig afirma que, além desses, "nas outras regiões há também registros, mas não há grandes blocos de clientes impactados".

Segundo a empresa, desde a tempestade dessa terça-feira, as equipes de trabalho foram reforçadas e a previsão é de que o restabelecimento seja gradativo ao longo do dia. "Os serviços a serem executados são os de maior complexidade, como recomposição de fiação partida e podas de árvores caídas sobre a rede elétrica", explicou.

Risco de desabamentos

A grande quantidade de água das chuvas dessa terça-feira deixaram Belo Horizonte em alerta para risco geológico. Ou seja, há possibilidade de queda de muros, deslizamentos e desabamentos. O aviso é válido até esta quinta-feira (16). Por essa razão, a Defesa Civil tem uma série de recomendações de segurança para a população. Leia abaixo.

- Coloque calha no telhado da sua casa.⠀⠀
- Conserte vazamentos em reservatórios e caixas-d'água.⠀⠀
- Não jogue lixo ou entulho na encosta.⠀⠀
- Não despeje esgoto nos barrancos.⠀⠀
- Não faça queimadas.
⠀⠀
Sinais de que deslizamentos podem acontecer:
⠀⠀
- Trinca nas paredes.⠀⠀
- Água empoçando no quintal.⠀⠀
- Portas e janelas emperrando.⠀⠀
- Rachaduras no solo.⠀⠀
- Água minando da base do barranco.⠀⠀
- Inclinação de poste ou árvores.

Terça-feira de tragédias

A chuva castigou, principalmente, a região da Pampulha nessa terça-feira (14). Por lá, houve alagamento de vias e do aeroporto, desabamento de uma casa e queda de árvores. Em um dos casos, um carro foi destruído. De forma preventiva a alagamentos, a Defesa Civil fechou as avenidas Vilarinho, em Venda Nova; Francisco Sá, região Oeste da capital; e Bernardo Vasconcelos, na região Nordeste.

No Jardim Montanhês, na região da Pampulha, cinco pessoas da mesma família ficaram parcialmente soterradas após parte de uma casa desabar durante a chuva. Eles não se feriram. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma mulher estava com dois filhos e dois netos quando parte da casa foi atingida por um barranco. Os três cachorros dela morreram.

Leia mais:
Temporal em BH derruba casa, deixa pessoas ilhadas, ruas e aeroporto alagados e bairros sem energia
Árvore gigante destrói carro e abre cratera no asfalto no Jaraguá
Família fica soterrada após desabamento de casa na Pampulha