Bombeiro que participou do resgate de Marília Mendonça iria ao show da cantora em Caratinga

Clara Mariz
@clara_mariz
09/11/2021 às 20:25.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:13
 (Reprodução / Redes Sociais)

(Reprodução / Redes Sociais)

Um dos bombeiros que participou do resgate do avião em que estava Marília Mendonça, na última sexta-feira (4), na zona rural de Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce de Minas, disse que, depois do expediente, iria ao show que da cantora em Caratinga. 

“De um segundo para o outro, passamos da espera do fim do expediente para ir curtir o show da Marília Mendonça, para resgate da mesma e os demais que com ela estavam”. Foi assim que Johnn Leno começou o relato sobre sua participação na ocorrência da tarde da última sexta-feira. O militar estava ansioso ir ao espetáculo da artista com a esposa. 

Durante o relato, o militar contou, também que, quando foi acionado, não sabia que a aeronave acidentada era a que transportava Marília Mendonça, e que achava que os passageiros estavam bem. “A princípio deslocando para a ocorrência sem saber que se tratava do avião da mesma, ao tomar ciência da informação veio aquele choque”.

O Corpo de Bombeiros de Caratinga também fez uma publicação em suas redes sociais sobre o relato do militar. De acordo com a corporação, a atitude de Leno é fruto dos treinamentos psicológicos intensos a que todos os bombeiros são submetidos. “Nesse momentos, o árduo treinamento psicológico é posto à prova, e o fã, com extremo profissionalismo, atende a ocorrência como atende a todas as outras, com excelência, com vigor, com técnica, com segurança e, sobretudo, com o mais alto grau de qualidade exigido nos protocolos operacionais da Corporação”. 

Tragédia

Na tarde desta sexta-feira (5), o avião que transportava Marília Mendonça caiu em uma cachoeira, na zona rural de Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais.  A aeronave decolou de Goiânia e seguia para Caratinga, cidade também no Vale do Rio Doce, onde a artista faria um show naquela noite. Ao todo, cinco pessoas morreram: a cantora sertaneja, o tio dela e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, o produtor Henrique Ribeiro, o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o co-piloto Tarciso Pessoa Viana. O resgate das vítimas demorou cerca de três horas, já que o avião estava em uma área de difícil acesso. Equipes do Samu, bombeiros militares e policiais atuaram na retirada dos corpos.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas, os ocupantes estavam presos entre as ferragens. Os primeiros a serem retirados dos destroços foram os passageiros, já que o piloto e o co-piloto estavam na parte da frente.

A Cenipa , órgão ligado à Força Aérea Brasileira e responsável pela investigação de acidentes aéreos, apura as causas da queda. Os investigadores do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos deram início ao trabalho de perícia da aeronave e avaliação das condições de voo. Segundo a Cemig, a aeronave atingiu um cabo de alta tensão da companhia momentos antes da queda.

A artista estava em um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros. Segundo informações da Anac, o avião estava em situação regular.

Veja vídeo que mostra os momentos iniciais do trabalho de resgate das vítimas que estavam no avião que transportava a cantora sertaneja

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por